Acontece no Brasil

Todas as quintas-feiras, o correspondente da TSF em São Paulo, João Almeida Moreira, assina a crónica Acontece no Brasil – um país onde a realidade e o insólito andam muitas vezes de mãos dadas.

185 Lulas e 84 Bolsonaros nas eleições municipais

Sufrágio autárquico brasileiro marcado para 15 de novembro será, como sempre, um desfile de candidatos exóticos com alcunhas mais ou menos doidas inspiradas em políticos, em super-heróis, em Deus e no diabo.

Mesmo atrasadas por causa da pandemia, as eleições municipais no Brasil estão à porta. E, como de costume, entre o meio milhão de candidatos a prefeitos e vereadores, imperam as alcunhas curiosas.

Para se ter uma noção, só Bolsonaros concorrem 84, dos quais apenas três, - uma ex-mulher, um primo e um filho do presidente - têm, de facto, o apelido no nome.

Há três Trumps - um deles, concorrente em Brusque, no estado de Santa Catarina, apresenta-se nas urnas com duas alcunhas acumuladas, é o Donald Trump Bolsonaro.

Mas o presidente do Brasil perde para um dos seus antecessores, Lula, nome escolhido por 185 candidatos.

E até para um deputado, Tiririca, o palhaço que se elegeu para Brasília em 2010 sob o slogan "vota em mim, pior do que está, não fica". Serão 99 Tiriricas nas municipais de 15 de novembro.

Trump também perde para Obama, nome de guerra de 18 candidatos.

Obama, por sua vez, perde para Hulk, com 26 candidatos. Os eleitores brasileiros também poderão eleger doze Batman e quatro Superman.

Ninjas são 29, Samurais serão dez.

Mudando de assunto, 4360 vão a votos sob o nome Pastor qualquer coisa; Padre qualquer coisa são só 202.

Por curiosidade, há 12 Capetas, um Diabo Loiro e um que se autodenomina Do Inferno.

Com tanta alcunha há aquelas que confundem os já de si confundidos eleitores: dos 18 candidatos que usam o nome de "prefeito", isto é, presidente de câmara, 11 deles concorrem... a vereador.

Mais: há oito candidatos com PT, iniciais de Partido dos Trabalhadores, no nome que não são do PT.

Os eleitores brasileiros é que não se podem queixar da falta de originalidade da sua classe política.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de