Acontece no Brasil

Todas as quintas-feiras, o correspondente da TSF em São Paulo, João Almeida Moreira, assina a crónica Acontece no Brasil – um país onde a realidade e o insólito andam muitas vezes de mãos dadas.

Cantor brasileiro é assassinado em palco

Assassino pagou bilhete para assistir ao show de MC Boco, referência do "brega funk", ritmo musical típico de Pernambuco. Polícia acredita em guerra de organizações criminosas como motivação para o crime.

"Boa noite, vou cantar um breguinha para vocês dançarem!", disse MC Boco, às 02h40 de domingo, dia 26 de dezembro, no Aconchego Bar, em Serrambi, praia do sul de Pernambuco nas imediações de Porto de Galinhas, destino de férias de muitos portugueses.

MC Boco foi um dos pioneiros do "brega funk", estilo musical que une o "brega", ritmo tradicional de Pernambuco, e o "funk", ritmo nascido nas favelas do Rio de Janeiro e de São Paulo.

Desde as 21h30 de sábado no Aconchego Bar, o artista atrasou o início do show até à madrugada para esperar o máximo de público, uma vez que o seu cachet seria o valor dos bilhetes.

"Boa noite, vou cantar um breguinha para vocês dançarem!", disse então MC Boco. No instante imediato, um homem encapuzado, aproximou-se do palco, efetuou uma série de disparos com uma arma de fogo e matou MC Boco.

A morte do cantor de 34 anos, casado e com quatro filhos, causou consternação de outros artistas de brega funk e da cena musical pernambucana em geral.

Ainda não se sabe quem foi o autor dos disparos fatais, nem o motivo do crime. No meio do pânico e da correria que se geraram, o assassino conseguiu fugir e ainda não foi localizado pela polícia. As autoridades acreditam que a morte de MC Boco, natural de uma favela na zona oeste de Recife, capital de Pernambuco, possa estar relacionada com uma guerra de organizações criminosas.

O cantor esteve detido, entre junho de 2020 e outubro deste ano, por tráfico de drogas derivadas da cocaína, embora tenha alegado inocência desde o início.

Para testemunhas, a ação que tirou a vida de MC Boco foi levada a cabo por um assassino profissional que pagou bilhete para assistir ao show do seu alvo. E, ironicamente, matou-o exatamente antes de ele começar a fazer o que mais gostava, cantar um "breguinha" para os outros dançarem.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de