Acontece no Brasil

Todas as quintas-feiras, o correspondente da TSF em São Paulo, João Almeida Moreira, assina a crónica Acontece no Brasil – um país onde a realidade e o insólito andam muitas vezes de mãos dadas.

Dançarina baiana zombou da morte de membro de organização criminosa. Aliados executaram-na

Uma dançarina baiana zombou da morte de um membro de uma organização criminosa rival pelo Instagram. Aliados dele revoltaram-se e executaram-na.

Uma dançarina de Feira de Santana, cidade a 100 km de Salvador, na Bahia, foi morta por causa de um comentário numa rede social.

Juju Tempestade, como era conhecida profissionalmente Juciene Bastos, zombou da morte de Breno Santos pelo Instagram e acabou assassinada por membros da organização criminosa a que este pertencia, rival da dela.

Tudo começou quando Juju e Brendo, ambos de 24 anos, ainda pertenciam à mesma organização.

Quando Juju mudou de lado, foi ameaçada de morte por Brendo. Por isso, ao saber da morte dele, numa troca de tiros com a polícia, comentou nas redes sociais "disse que me ia dar um tiro, né?, olha quem morreu primeiro", seguido da letra k repetida, sinal de gargalhada no Brasil.

"Não era bichão, nego? Olha o que acontece com os bichão", continuava.

A polícia acredita que a provocação custou a vida a Juju. Logo num dos comentários à publicação da dançarina, alguém respondeu "a sua hora também vai chegar".

E em imagens colhidas por uma câmara de segurança, vê-se um homem chegar numa moto, passar pela frente da casa da dançarina, no bairro de Baraúnas, trocar com ela algumas palavras, disparar 10 tiros e fugir em seguida.

Juju morreu 48 horas depois de Brendo.

A polícia continua à procura do autor do crime, ocorrido em meados de maio. Segundo o delegado Rodolfo Faro, que investiga o caso, a moto foi encontrada abandonada mas o jovem que a matou terá fugido depois de saber que o crime foi filmado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de