Acontece no Brasil

Todas as quintas-feiras, o correspondente da TSF em São Paulo, João Almeida Moreira, assina a crónica Acontece no Brasil – um país onde a realidade e o insólito andam muitas vezes de mãos dadas.

É baleado, recebe alta e é baleado outra vez

Homem de 37 anos deu entrada em hospital após ser ferido em assalto. Quando se preparava para sair, um dia e meio depois, foi executado à queima-roupa.

Gilianderson dos Santos, 37 anos, foi baleado na perna e na nádega após ser vítima de um assalto na noite de 22 de abril, no Guarujá, região litoral do estado de São Paulo, por atiradores ainda não identificados pela polícia.

Atendido de urgência naquela noite, passou o dia 23 no Hospital Santo Amaro, no centro da cidade, data em que a polícia registou a ocorrência. E no dia 24, logo de manhã, recebeu alta da ala de traumatologia.

De cadeira de rodas, pronto para sair e com uma irmã fora do hospital à espera, Gilianderson vestia uma roupa azul e uma touca.

Um médico e uma enfermeira ultimavam a sua saída quando, conforme se verifica em imagens de uma câmara no local, são obrigados a dar meia volta, meio assustados.

Logo depois deles, surgem dois homens, armados e com capacetes de moto para dificultar a identificação.

Aproximaram-se e dispararam seis vezes na direção da cabeça e do abdómen de Gilianderson, que morre no local. Tudo de forma muito violenta e muito rápida - a chegada dos criminosos, a execução da vítima e a saída dos primeiros do hospital durou menos de um minuto.

A polícia ainda investiga o caso, sabendo que ao contrário do que pensara inicialmente, Gilianderson não tinha antecedentes criminais. No roubo, assaltantes levaram-lhe a bicicleta. Segundo a sua irmã, ele era toxicodependente mas não tinha inimigos.

O Hospital Santo Amaro lançou nota a lamentar o sucedido, explicando que jamais ocorrera um crime nas suas instalações, e que dispõe de medidas de segurança consideradas adequadas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de