Acontece no Brasil

Todas as quintas-feiras, o correspondente da TSF em São Paulo, João Almeida Moreira, assina a crónica Acontece no Brasil – um país onde a realidade e o insólito andam muitas vezes de mãos dadas.

Escapou das abelhas mas não das piranhas

Exuberância da natureza no Brasil tanto encanta como mata. Pescador morre comido pelos peixes carnívoros após fugir de enxame descontrolado.

Os três amigos não podiam ter escolhido programa menos radical: pescar, de barquinho, num lago tranquilo por longas horas. E, no entanto, um deles não voltou. A culpa foi da exuberante, mas às vezes fatal, fauna brasileira.

O trio, que relaxava em Brasilândia de Minas, no estado de Minas Gerais, a 500 km da capital Belo Horizonte, foi surpreendido por um ataque de abelhas quando o barco, ao bater num tronco de buriti, uma árvore de mais de 30 metros de altura, as espantou. Perseguidos pelo enxame, os pescadores foram obrigados a mergulhar para fugir das picadas.

Dois deles conseguiram voltar à superfície quase imediatamente, escapando dos insetos e driblando outro perigo: as piranhas, muitas, que habitam o lago. O terceiro, supostamente por não saber nadar, demorou mais a sair e acabou atacado por um temível cardume dos peixes carnívoros.

Os bombeiros não encontraram o corpo do homem de 30 anos no sábado, dia 30 de outubro, do acidente. Só no dia seguinte, ao voltarem ao local nas primeiras horas de novembro, se depararam com o cadáver, com calças, camisa e sem sapatos, meio dilacerado pelas dentadas das piranhas. Como habitualmente nestes casos, as autoridades não conseguiram apurar se a morte se deveu ao afogamento ou ao ataque animal.

Por causa disso, não se sabe quantos brasileiros morrem por ano por causa das piranhas, apenas que os ataques, quase nunca mortais, aumentaram 20% em 2021. Entre 2007 e 2017, perto de 3000 pessoas morreram por ataques de animais no país, estando as abelhas, ao lado dos escorpiões e das serpentes, entre os mais fatais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de