Acontece no Brasil

Todas as quintas-feiras, o correspondente da TSF em São Paulo, João Almeida Moreira, assina a crónica Acontece no Brasil – um país onde a realidade e o insólito andam muitas vezes de mãos dadas.

O cliente de restaurante que sofria de convulsões

Ruan Costa aplicou o mesmo golpe em, pelo menos, quatro estados do Brasil: comia e bebia do melhor mas saía dos estabelecimentos para o hospital sem pagar a conta.

Em 2019, Ruan Pamponet Costa, um ex-jogador de futebol que hoje se dedica à produção musical, comeu e bebeu do bom e do melhor com amigos num restaurante de luxo de Fortaleza. Na hora de pagar a conta, de 4300 reais, cerca de 850 euros, teve uma convulsão e, entre primeiros socorros, ambulâncias e hospital, conseguiu escapar sem gastar um cêntimo.

Já no fim do ano passado, a mesma cena num bar de Maceió - a conta acima de 400 euros em produtos de luxo, como bebidas alcoólicas e marisco, não foi acertada porque, por coincidência, na hora do pagamento, Ruan teve uma terrível convulsão.

Na semana passada, tudo quase igual, mas em Goiânia. Ruan e um amigo chegaram ao restaurante para almoçar, convidaram senhoras de outras mesas a juntarem-se a eles e ficaram no local mais de 12 horas, até de madrugada. Consumiram picanha, pratos de camarão, vinho, gin, duas garrafas de uísque importado no valor de 300 euros cada, num total de 24 itens na conta. Pouco antes do pagamento, o amigo desapareceu de vista e o ex-jogador sofreu - adivinhou - uma convulsão.

Sucede que, desta vez, os bombeiros chamados ao local pelo gerente do estabelecimento eram mais experientes do que os outros e perceberam que Ruan não estava a ter convulsão nenhuma. E, além da ambulância previamente chamada por precaução, chegou um carro da polícia ao restaurante que o levou para a esquadra mais próxima.

Lá, a polícia chegou à conclusão que Ruan não é ex-jogador de futebol, nem produtor musical, nem sofre de convulsões sistemáticas. É um mero golpista, procurado em pelo menos quatro estados do Brasil, que agora para sair da prisão tem de pagar 10 mil reais de caução [cerca de 2000 euros] - bem mais do que os 6000 da conta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de