Acontece no Brasil

Todas as quintas-feiras, o correspondente da TSF em São Paulo, João Almeida Moreira, assina a crónica Acontece no Brasil – um país onde a realidade e o insólito andam muitas vezes de mãos dadas.

"Senhor ladrão, por favor avise antes"

ONG em Mato Grosso do Sul sofre assaltos constantes. Além do produto do roubo, soma-se o prejuízo nos portões, nas câmaras de vigilância e restante aparato de segurança. Daí o desesperado apelo.

A sede de uma ONG em Campo Grande, a capital do Mato Grosso do Sul, foi assaltada em abril.

Os responsáveis pela Associação dos Ostomizados de Mato Grosso, que cuida de doentes que passaram por ostomia, cirurgia que envolve a abertura da parede abdominal, trataram então de reforçar a segurança com um novo portão.

O local voltou, no entanto, a ser assaltado. E, novamente, a associação investiu noutro portão e na instalação de câmaras de vigilância. Mas o resultado foi o mesmo: assalto.

Na semana passada, entretanto, mais um assalto, no qual os ladrões não levaram nada mas destruiu o aparato de segurança.

Foi o oitavo só em 2020.

O apetite pela sede da ONG explica-se pelas doações individuais e de entidades, isto é, inúmeros eletrodomésticos, televisões, telemóveis, materiais de construção e outros bens, lá guardados. E publicitados nas páginas da associação nas redes sociais.

As despesas são incontáveis, dizem os responsáveis: não só pelo roubo dos bens doados mas também pelo prejuízo causado aos portões, cada vez mais caros, em que a ONG vem investindo.

Vai daí, decidiram apelar ao coração dos ladrões após o segundo ou terceiro assalto e escreveram num cartaz no portão "por favor, não voltem".

Como não deu resultado, oito assaltos depois, pediram num cartaz ainda maior "sr. Ladrão, venho novamente pedir, por favor ligue antes para evitar novos prejuízos".

O correspondente da TSF em São Paulo, João Almeida Moreira, assina todas as quintas-feiras a crónica Acontece no Brasil.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de