Acontece no Brasil

Todas as quintas-feiras, o correspondente da TSF em São Paulo, João Almeida Moreira, assina a crónica Acontece no Brasil – um país onde a realidade e o insólito andam muitas vezes de mãos dadas.

Tio e sobrinho mortos por furtar carne

Seguranças do supermercado assaltado entregaram-nos a traficantes, que os torturaram e mataram, e não à polícia. Suspeitos já foram detidos.

No dia 26 de abril, Bruno e Ian Barros da Silva, tio e sobrinho de 29 e 19 anos, respetivamente, furtaram quatro pedaços de carne de um supermercado em Amaralina, bairro de Salvador, da Bahia.

Horas depois, foram encontrados mortos no porta-malas de um carro, com marcas de tiros e sinais de tortura.

Entre o furto e a morte, Bruno enviou mensagem de áudio a uma amiga, a pedir 700 reais [pouco mais de 100 euros], para cobrir a despesa.

Não houve tempo: a essa hora, os dois já tinham sido entregues pelo gerente e pelos seguranças do supermercado a traficantes de droga de um bairro nas imediações para que estes os matassem.

Nos dias seguintes ao crime, três adolescentes contaram que passaram pelo mesmo em outubro passado: foram apanhadas a furtar artigos do estabelecimento e entregues aos traficantes; duas conseguiram fugir, a outra, foi espancada por horas a fio.

"Era algo padrão: os seguranças tinham contato com os traficantes e entregavam-nos. Neste caso, a ação resultou em duplo homicídio", disse a delegada de polícia da área, Andrea Ribeiro.

O secretário de segurança de Salvador classificou o episódio de "o mais complicado" desde que assumiu o cargo. "Em vez de chamarem a polícia, chamam o crime organizado, não se pode permitir", afirmou Ricardo Mandarino.

O supermercado em causa diz repudiar a violência e acusa os seguranças.

Dois desses seguranças e o gerente da loja foram detidos nesta semana, assim como quatro traficantes acusados dos assassínios.

O correspondente da TSF em São Paulo, João Almeida Moreira, assina todas as quintas-feiras a crónica Acontece no Brasil

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de