Boa Vida

Restaurantes, hotéis, exposições, atividades, novas tendências, bares, locais, comidas, vinhos, aquilo que faz moda mas também as histórias mais escondidas. Um programa de Augusto Freitas de Sousa, autor e jornalista que nos últimos anos se tem dedicado ao lifestyle e ao jornalismo de viagens.

O registo na história de gastronomia

Foi o primeiro chef a conseguir uma estrela Michelin num restaurante asiático em Portugal e pode não ficar por aqui. Miguel Velez percebeu que havia hotéis que precisavam de uma gestão profissional e criou a Unlock Boutique Hotels. Em Porto Santo tudo pronto para o Festival do Atum.

O sonho de criança de Pedro Almeida, hoje com 38 anos, foi perdendo para a área da informática, mas acabou por triunfar na sua carreira. Tirou o curso de produção alimentar na Escola de Hotelaria do Estoril e começou a trabalhar em 2004.

Nasceu em Sintra, mas os pais de Figueira de Castelo Rodrigo trouxeram-lhe o gosto pela genuinidade dos produtos. Trabalhou no Farol Design Hotel, no Hotel Albatroz, no restaurante Gôndola em Lisboa, mas a descoberta começou num hotel em Lanzarote nas Canárias espanholas.

Apesar de estar no Midori há sete anos, Pedro começou a trabalhar para a estrela Michelin em 2017 e passado um ano conseguiu o galardão, atribuído pela primeira vez a um restaurante asiático em Portugal.

A ajuda que faltava

Miguel Velez largou uma carreira mais tranquila para se dedicar à sua empresa Unlock Boutique Hotels em 2016 e, desde então já gere doze unidades hoteleiras. Não estava nos planos, mas a empresa comprou um hotel e um edifício de apartamentos em Évora e, recentemente, o complexo termal das Caldas de Monchique.

Começou por ser uma empresa que se dedicava a gerir outros hotéis em três vertentes: quem queria manter-se à frente do hotel, mas precisava de gestão de compras e outros serviços, quem quer associar uma unidade hoteleira a outro negócio e simplesmente quem investiu em hotelaria.

A Unlock de Miguel Velez e Adrian Bridge só gere hotéis com 20 a 120 quartos, o número de referência das pequenas unidades hoteleiras. A mais recente compra foi o complexo em Monchique onde ficarão três hotéis de três, quatro e quatro estrelas superior e ainda suítes e apartamentos.

Na rota do Atum

O Festival da Rota do Atum em Porto Santo, começa para a semana com mais de 30 eventos durante seis dias, entre 4 a 9 de junho, onde o atum vai ser a estrela. Além de Portugal, vão estar presentes cozinheiros de Itália, França, Filipinas, Austrália e Japão.

O japonês Koichi Mori, José Cordeiro, embaixador da edição deste ano, Manuel Santos, da equipa residente do festival, António Vieira, o espanhol José António Goye, o italiano Carmine Basile, o francês Yves Gautier, o japonês Koike e o cozinheiro Ben Borsht, finalista do Masterchef Austrália em 2018, são os chefs presentes este ano.

Esta segunda edição, organizada pelo Vila Baleira Resort, conta ainda com o apoio de entidades públicas e privadas, entre os 15 restaurantes de Porto Santo e alguns fornecedores e outros hotéis da ilha.

Augusto Freitas de Sousa (boavida@tsf.pt)

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados