Botequim

Botequim é um programa feito por mulheres, sobre mulheres. Aborda vários assuntos sob a perspetiva delas. É um espaço de diálogo e de escuta, para discutir desafios relacionados com a igualdade de género, através de entrevistas, conversas e histórias de mulheres que marcam a diferença. Cada programa vai abordar assuntos relacionados com política, educação, ciência, direitos humanos e o papel da mulher em cada um deles. Com Sara de Melo Rocha e Miguel Silva (sonoplastia).
Para ouvir na TSF à sexta-feira, depois as 23h, com repetição ao sábado depois das 10h. Versão alargada disponível em TSF.pt e em podcast.

Mulheres ganham espaço no Cinema mas fartaram-se de interpretar princesas em apuros

O Botequim junta uma realizadora-revelação, a mais conhecida diretora de casting em Portugal e a diretora de um festival de cinema no feminino para conversar sobre as barreiras que as mulheres do setor enfrentam nos bastidores. O diálogo também espreita o tipo de personagens femininas que vemos no grande ecrã - muitas vezes em segundo plano na narrativa -, que ajudam o protagonista masculino a consolidar o seu papel.

As mulheres têm vindo a ganhar mais espaço no cinema independente. Nunca vimos tantas mulheres nos bastidores do cinema. Ainda assim, os homens representam 66% dos cargos de realizadores, guionistas, produtores, produtores executivos, montadores e diretores de fotografia a trabalhar em filmes exibidos nos festivais de cinema entre 2019-2020.

Estes são os dados mais recentes do Indie Women, um estudo que olha para o emprego feminino nos bastidores de filmes independentes.

No caso dos blockbusters, os dados não são tão animadores. As mulheres representam 20% dos profissionais da indústria dos cem filmes mais rentáveis de 2019 nos Estados Unidos. Em 1998, representavam 17% desses cargos, de acordo com o Centro para os Estudos das Mulheres na Televisão e no Cinema da Universidade de San Diego.

Passando dos bastidores para o grande ecrã, para cada 2,3 homens há apenas uma mulher a representar no cinema. Os dados de um estudo da New York Film Academy mostram que cerca de 30% dos personagens com falas em filmes são mulheres e apenas 12% dos filmes apresentaram um casting equilibrado, com metade dos personagens do sexo feminino.

Em Portugal, os dados mais recentes de um estudo coordenado por Rui Telmo Gomes, mostram que a percentagem de mulheres produtoras de longas-metragens de ficção passou de 19 % para quase 38% num período de dez anos e de documentários subiu de 36% para mais de metade.

Nas áreas de produção como guarda-roupa e maquilhagem, o domínio continua a ser feminino, enquanto o som e as luzes continuam a ser masculinos. As realizadoras e as atrizes têm salários mais baixos do que os homens, os filmes que produzem têm menos prémios.

Portanto, apesar do caminho trilhado, as mulheres continuam em segundo plano na indústria cinematográfica.

Neste Botequim queremos entender o que contribui para essa demora e falar também da representação mulher enquanto personagem no Cinema, contando com a presença de:

Antónia Lima é antropóloga e uma das diretoras do festival "Olhares do Mediterrâneo - Women's Film Festival ", dedicado à exibição de filmes que divulguem o papel das mulheres na indústria cinematográfica, a decorrer de 23 a 29 de novembro.

Cláudia Varejão é realizadora, estreou recentemente a longa-metragem "Amor Fati". É dela também o "Ama-San", um êxito global com 75 exibições em festivais por todo o mundo e 17 prémios internacionais.

Patrícia Vasconcelos é diretora de casting, responsável pela escolha de muitos elencos para filmes nacionais e estrangeiros. É fundadora da Academia Portuguesa de Cinema e criou a Mansarda, uma residência para pessoas ligadas às áreas artísticas.

____

Botequim, da autoria da jornalista Sara de Melo Rocha, é um programa feito por mulheres, sobre mulheres. Aborda vários assuntos sob a perspetiva delas. É um espaço de diálogo e de escuta, para discutir desafios relacionados com a igualdade de género, através de entrevistas, conversas e histórias de mulheres que marcam a diferença. Cada programa vai abordar assuntos relacionados com política, educação, ciência, direitos humanos e o papel da mulher em cada um deles.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de