Democracia, Para Que Te Quero

A TSF vai a escolas de norte a sul do país saber o que pensam os estudantes quando se fala de Democracia? Só de eleições? Ou de um modelo de organização da sociedade composta por cidadãos livres e iguais? Que direitos individuais e coletivos? Como vai ser o futuro? Democracia Para Que Te Quero, uma parceria da TSF com o Ministério da Educação.

Voto obrigatório, representatividade. O sistema político português

No segundo episódio do "Democracia, Para que te quero", a Escola Secundária D. Duarte, do Agrupamento Coimbra Oeste, o ponto de partida para o debate foi o sistema político português. No passado mês de abril, Portugal completou 48 anos de democracia, vivendo à mais tempo em liberdade do que aquele que viveu sob a ditadura do Estado Novo.

Quase cinco décadas depois, a participação política em Portugal tem sido marcada, sobretudo, pela abstenção, que atingido níveis recorde em vários atos eleitorais. O que é preciso para inverter esta tendência?

Os alunos da Secundária D. Duarte dividiram-se em grupos e o primeiro, cuja porta-voz foi Bruna Vieira, refletiu sobre a obrigatoriedade do voto e a representatividade. Este grupo chegou à conclusão que, face aos números da abstenção, o voto deve ser obrigatório, uma realidade que já existe em outros países.

"O voto deve ser obrigatório porque assim contribuiu para a educação política dos cidadãos. Por ser um direito, é também um dever e traz grandes benefícios para o nosso país", defende Bruna Vieira. Contrariando esta ideia, o grupo de Rafael José defende que os eleitores não devem ser obrigados a ir às urnas, justificando a opção com o facto de vivermos em democracia.

Para a professora Mónica Dias, docente de Ciência Política na Universidade Católica Portuguesa, "cada Estado deve decidir consoante a sua própria história ou tradição".

Representatividade dos portugueses no Parlamento

Nos últimos anos, vários movimentos cívicos ou cidadãos individuais têm criticado a falta de representatividade no Parlamento. Este foi um dos pontos também discutido pelos alunos da Secundária D. Duarte.

Para Rafael José, "os deputados deve representar todo o povo, seja maiorias ou minorias, sendo isso que lhe dá a legitimidade". Por outro lado, o grupo de Bruna Vieira defende que os deputados representam a sociedade em geral porque são "eleitos por uma maioria, para além disso, é justamente isso que lhes dá a legitimidade para tomar decisões".

Por último, os alunos desta escola de Coimbra refletiram ainda sobre se o Parlamento tem ou não um número suficiente de deputados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de