Governo Sombra

Eles querem, podem, mas não mandam! Ricardo Araújo Pereira, Pedro Mexia e João Miguel Tavares - num programa moderado por Carlos Vaz Marques - são o Governo Sombra. Um governo que não decide. Uma equipa ministerial sem consenso. Um conselho de ministros que convive bem com as fugas de informação. Semanalmente, passam a atualidade em revista, examinam à lupa os dossiês, interpelam os protagonistas sem rodeios.
Domingo, depois das 11h00. À segunda-feira, depois das 13h00 em versão compacto

RAP sobre apoio de Costa a Vieira: "Como cidadão, acho mal. Como munícipe de Oeiras, acho bem"

A integração de António Costa e de Fernando Medina na comissão de honra da recandidatura de Luís Filipe Vieira à presidência do Benfica foi tema de conversa no Governo Sombra.

Na emissão do Governo Sombra desta semana, Carlos Vaz Marques indagou Ricardo Araújo Pereira (RAP) sobre o apoio de António Costa à candidatura de Luís Felipe Vieira, sendo conhecidos os casos judiciais em que o Presidente do Benfica está envolvido. "Como cidadão, acho mal. Como munícipe de Oeiras, acho bem. Como apreciador de bacalhau, não tenho opinião." - E explica: "Tal como o primeiro-ministro resolveu distinguir, muito claramente, o seu papel como cidadão e como primeiro-ministro, eu também quero desdobrar-me em todas as minhas personalidades" - explicou o humorista.

O caso foi um dos mais falados da semana: António Costa e Fernando Medina integraram a comissão de honra da recandidatura de Luís Filipe Vieira à presidência do Sport Lisboa e Benfica, ambos alegando que existe separação entre o apoio a um clube como cidadãos e as suas personas políticas. A propósito, Carlos Vaz Marques recordou no Governo Sombra uma antiga expressão de António Costa: "Um ministro não se pode esquecer, nem à mesa do café, de que é ministro". Ricardo Araújo Pereira sugere que talvez possa haver uma exceção se a mesa for no café da Casa do Benfica.

Num registo mais sério, o humorista defende que este caso é tão problemático como o da integração de Rui Moreira na lista de Pinto da Costa para as eleições dos órgãos sociais do F. C. Porto, já que ambos os casos resultam numa promiscuidade entre política e futebol que não é desejável. Mas sublinha que o caso que envolveu agora António Costa e Fernando Medina é especialmente grave porque Luís Felipe Vieira está envolvido em seis processos judiciais.

A polémica acabou por levar Luís Filipe vieira a retirar António Costa e Fernando Medina da sua comissão de honra, um dia antes de ser constituído arguido no âmbito da operação Lex.

A emissão completa do Governo Sombra, para ver ou ouvir, sempre em tsf.pt.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de