Governo Sombra

Eles querem, podem, mas não mandam! Ricardo Araújo Pereira, Pedro Mexia e João Miguel Tavares - num programa moderado por Carlos Vaz Marques - são o Governo Sombra. Um governo que não decide. Uma equipa ministerial sem consenso. Um conselho de ministros que convive bem com as fugas de informação. Semanalmente, passam a atualidade em revista, examinam à lupa os dossiês, interpelam os protagonistas sem rodeios.
Domingo, depois das 11h00. À segunda-feira, depois das 13h00 em versão compacto

Ricardo Araújo Pereira: "A mim, ninguém me apanha!"

Ricardo Araújo Pereira congratula-se por conseguir escapar a todas as acusações de responsabilidade quanto à disseminação da Covid-19 em Portugal.

No passado dia 24 de junho decorreu mais uma reunião técnica no Infarmed - a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde - para partilha de informação entre especialistas e Governo, na qual participaram também o Presidente da República, o presidente da Assembleia da República e também os líderes de confederações patronais e centrais sindicais.

Durante a reunião, segundo o Observador, os especialistas Baltazar Nunes, epidemiologista do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), e Rita Sá Machado, chefe de divisão de Epidemiologia e Estatística da Direção Geral de Saúde, terão garantido que o elevado do número de infetados com Covid-19 na região de Lisboa e Vale do Tejo não pode ser explicado apenas com o elevado número de testes, nem causado pelos comportamentos dos jovens. De acordo com os especialistas, o primeiro fator de contágio na região de Lisboa tem sido "em primeiro lugar, a coabitação, em segundo lugar o contexto laboral e só em terceiro lugar o contexto social".

Assim, os especialistas terão dito ao Governo "não é bem assim" duas vezes, uma em relação à justificação do elevado número de casos com o elevado número de testes, e outra em relação à atribuição do contágio aos comportamentos dos jovens, e terá sido isso que levou Ricardo Araújo Pereira a escolher para si a pasta de ministro do "Não é bem assim".

Ricardo Araújo Pereira fecha o tema com uma nota humorística, e lembra como a "culpa" tem saltitado pelo país: "Há um mês, o problema era o norte - a TVI até teve de pedir desculpa por causa de uma reportagem em que disse que as pessoas do norte estavam a ser mais afetadas por terem menos instrução, etc. Agora é o sul do país, e estão as pessoas do norte a dizer: 'Pois é, nós aqui portamo-nos bem, não é como certas pessoas de outros sítios...' No início eram os velhotes: 'Eles andam na rua, até gozam com os jornalistas que os mandam para casa e com a polícia!', agora são os jovens: 'Os jovens andam na rua, vão beber para a bomba de gasolina...'. Eu, felizmente, como sou uma pessoa de meia-idade, nem sou jovem nem sou idoso, e além disso, quando as pessoas do norte tinham mais doenças, eu nasci em Lisboa. Agora, que é aqui no sul, a minha família é do norte. Por isso, a mim, ninguém me apanha!".

A emissão completa do Governo Sombra, para ver ou ouvir, sempre em tsf.pt.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de