Governo Sombra

Eles querem, podem, mas não mandam! Ricardo Araújo Pereira, Pedro Mexia e João Miguel Tavares - num programa moderado por Carlos Vaz Marques - são o Governo Sombra. Um governo que não decide. Uma equipa ministerial sem consenso. Um conselho de ministros que convive bem com as fugas de informação. Semanalmente, passam a atualidade em revista, examinam à lupa os dossiês, interpelam os protagonistas sem rodeios.
Domingo, depois das 11h00. À segunda-feira, depois das 13h00 em versão compacto

RAP acredita que os portugueses vão cumprir o "dever cívico de recolhimento"

O humorista acredita que os portugueses vão cumprir o dever cívico de recolhimento da mesma forma que cumprem o dever cívico do voto.

Chegado o fim do terceiro período em estado de emergência, o país entrou em estado de calamidade , tendo o governo apresentado um plano de desconfinamento, no qual determinou "o dever cívico de recolhimento".

Para Ricardo Araújo Pereira, um dos aspetos mais importantes do período de desconfinamento é a importância que ganha a responsabilidade pessoal, e considera que os próximos tempos serão um teste ao civismo dos portugueses.

Pedro Mexia lembrou as preocupações do constitucionalista Bacelar Gouveia, que, no jornal Público , lembrou que a maioria dos portugueses opta pela abstenção, quando é chamada a cumprir o dever cívico do voto.

Ricardo Araújo Pereira mostrou-se otimista e contestou a lógica do constitucionalista, defendendo que será fácil aos portugueses cumprirem "o dever cívico de recolhimento": basta para isso adotarem o mesmo comportamento que assumem quando há eleições, que é, precisamente, ficarem em casa.

A emissão completa do Governo Sombra, para ver ou ouvir , sempre em tsf.pt.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de