Governo Sombra

Eles querem, podem, mas não mandam! Ricardo Araújo Pereira, Pedro Mexia e João Miguel Tavares - num programa moderado por Carlos Vaz Marques - são o Governo Sombra. Um governo que não decide. Uma equipa ministerial sem consenso. Um conselho de ministros que convive bem com as fugas de informação. Semanalmente, passam a atualidade em revista, examinam à lupa os dossiês, interpelam os protagonistas sem rodeios.
Domingo, depois das 11h00. À segunda-feira, depois das 13h00 em versão compacto

RAP e o caso da "vista maravilhosa" do Bairro Amarelo

Ricardo Araújo Pereira tem uma sugestão para ajudar os políticos, como Inês de Medeiros, a evitarem descontextualizações.

Inês de Medeiros, presidente da Câmara de Almada, elogiou a "vista invejável" dos bairros sociais do concelho, afirmando até que "iria viver amanhã para o Bairro Amarelo", pela "vista maravilhosa". Um vídeo das declarações espalhou-se pelas redes sociais, causando indignação. Inês de Medeiros terá dito mais tarde que as declarações estavam descontextualizadas.

O momento foi registado durante uma reunião camarária, e as declarações surgiram no seguimento da intervenção de um dos presentes, que salientava que quando uma autarquia cria um bairro social, ele deve ser criado em zonas com boas condições..

Para Ricardo Araújo Pereira (RAP), isso pode contextualizar a primeira parte das declarações, relativas à vista do Bairro Amarelo, mas dificilmente conteztualiza a segunda, em que a autarca garante que se mudava "amanhã" para o bairro social.

RAP sugere que se edite um "manual para políticos que pretendam evitar descontextualizações", e dá uma sugestão para uma das regras: "À cautela, uma vez que a descontextualização é frequente, não se exaltam aspetos positivos de coisas muito negativas." - E dá um exemplo: "Não convém dizer a munícipes: "O senhor está a fazer quimioterapia? Vai poupar muito no barbeiro".


A emissão completa do Governo Sombra, para ver ou ouvir, sempre em tsf.pt

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de