Governo Sombra

Eles querem, podem, mas não mandam! Ricardo Araújo Pereira, Pedro Mexia e João Miguel Tavares - num programa moderado por Carlos Vaz Marques - são o Governo Sombra. Um governo que não decide. Uma equipa ministerial sem consenso. Um conselho de ministros que convive bem com as fugas de informação. Semanalmente, passam a atualidade em revista, examinam à lupa os dossiês, interpelam os protagonistas sem rodeios.
Domingo, depois das 11h00. À segunda-feira, depois das 13h00 em versão compacto

RAP: "Se o acordo com o Chega nos Açores é 'natural', porque não o queremos no continente?"

A última entrevista de Rui Rio à TVI foi tema de conversa no Governo Sombra.

Em entrevista à TVI, Rui Rio tentou justificar a aproximação entre PSD e André Ventura, na qual considerou o Chega um "partido pouco sedimentado", que pode até "desaparecer dentro de dois anos". Ricardo Araújo Pereira (RAP) disse confiar na intuição política de Rui Rio e acrescentou, com a ironia habitual, que "não há nada melhor para fazer desaparecer um partido do que dar-lhe a mão e fazer um acordo com ele". Por outro lado, o humorista considera também a hipótese de que Rui Rio esteja a seguir outra estratégia, e explica: "É possível que o raciocínio seja o seguinte: eu tenho tido tanto insucesso como líder do psd, que se eu der a mão a um partido, em principio ele acaba." - O que tornaria Rui Rio numa espécie de "Rei Midas ao contrário" - Acrescentou Pedro Mexia.

RAP apontou ainda incoerências nos argumentos de Rui Rio para justificar o acordo nos Açores: se por um lado, o líder do PSD garantiu que "não há problema nenhum" num acordo com o Chega, e que tal acordo nos Açores é "perfeitamente natural", por outro garantiu que não há motivo de preocupação no continente, já que o acordo só existe nos Açores. Para o humorista "os dois argumentos não jogam bem um com o outro: se 'não há problema nenhum', porque não trazer esta maravilha para o continente, para que todos os portugueses possam usufruir de uma coisa tão natural e sem problema nenhum?" - E ilustra com uma alegoria: "É como chegar à escola, não fazer os trabalhos, e dar mais do que uma desculpa: 'o meu cão comeu os trabalhos e também não tive tempo.' - Afinal, qual é que é?".

A emissão completa do Governo Sombra, para ver ou ouvir, sempre em tsf.pt.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de