Governo Sombra

Eles querem, podem, mas não mandam! Ricardo Araújo Pereira, Pedro Mexia e João Miguel Tavares - num programa moderado por Carlos Vaz Marques - são o Governo Sombra. Um governo que não decide. Uma equipa ministerial sem consenso. Um conselho de ministros que convive bem com as fugas de informação. Semanalmente, passam a atualidade em revista, examinam à lupa os dossiês, interpelam os protagonistas sem rodeios.
Domingo, depois das 11h00. À segunda-feira, depois das 13h00 em versão compacto

Ricardo Araújo Pereira explica a carta aberta dirigida à direção do Benfica

André Ventura chegou ao Parlamento e um grupo de benfiquistas considera que não o teria conseguido sem instrumentalizar o Benfica.

André Ventura ganhou notoriedade como comentador de futebol adepto do Benfica, e foi pelo seu pé que a extrema-direita entrou no Parlamento português, com a eleição de um deputado pelo partido Chega, nas eleições legislativas de 6 de outubro.

Um grupo de benfiquistas, entre os quais Ricardo Araújo Pereira, exprimiu a sua indignação pelo que considera ser a instrumentalização do clube para fins políticos pela parte de André Ventura, dirigindo à direção do Benfica uma carta aberta .

No programa Governo Sombra, Ricardo Araújo Pereira comenta algumas das críticas que foram feitas ao teor da carta, nomeadamente por Pedro Marques Lopes , e explica o que espera de Luís Felipe Vieira: uma demarcação em relação a André Ventura, e que não há nesse apelo qualquer ataque à liberdade de expressão do deputado eleito do Chega.

A emissão completa do Governo Sombra, para ver e ouvir, sempre, em tsf.pt.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados