Governo Sombra

Eles querem, podem, mas não mandam! Ricardo Araújo Pereira, Pedro Mexia e João Miguel Tavares - num programa moderado por Carlos Vaz Marques - são o Governo Sombra. Um governo que não decide. Uma equipa ministerial sem consenso. Um conselho de ministros que convive bem com as fugas de informação. Semanalmente, passam a atualidade em revista, examinam à lupa os dossiês, interpelam os protagonistas sem rodeios.
Domingo, depois das 11h00. À segunda-feira, depois das 13h00 em versão compacto

Só com um "drink", Ricardo Araújo Pereira ficou "drunk"

Uma das polémicas da semana prendeu-se com o momento que Graça Fonseca recusou responder a uma pergunta da SIC sobre as sérias dificuldades que estão a atravessar os profissionais da cultura.

A ministra da Cultura prestava declarações aos jornalistas durante a apresentação, no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, de 65 obras de arte contemporânea, que foram compradas para a coleção do Estado e informou que, nesse dia, falaria apenas sobre a Coleção de Arte Contemporânea, convidando em seguida os jornalistas para um "drink de fim de tarde".

Ricardo Araújo Pereira ficou a sentir-se "drunk" com o episódio e considera o caso "uma lição sobre contenção nas declarações públicas", pois bastaria alguma sensibilidade para remeter o assunto para mais tarde sem demonstrar insensibilidade face a um problema tão grave.

O humorista faz ainda uma comparação: "Isto é o equivalente a um bombeiro estar a almoçar num restaurante, e alguém dizer: "Senhor Bombeiro! Atropelaram, agora mesmo, uma pessoa ali à frente!" - E o bombeiro diz: "Pois só que eu ainda não comi a sobremesa, e é bavaroise, e aquilo depois deslaça, se não for comido na hora, por isso, dê-me só dez minutos, ou assim."- Não é o tipo de coisa que seja doce de ouvir, perante a gravidade da situação." - Conclui.

A emissão completa do Governo Sombra, para ver ou ouvir, sempre em tsf.pt

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de