Marcos Piangers: até quando vamos dizer "chegou o garanhão que será o terror das meninas"?

A educação para a igualdade entre meninas e meninos começa em casa. Mas tem de ser acompanhada pela escola, no desporto, nos espaços públicos, na sociedade em geral. "As minhas filhas são "empurradas" para serem sensíveis, comportadas, quietas, bonitas, cuidadoras da família e os meninos são treinados para serem aventureiros, conquistadores de meninas", diz Marcos Piangers. O comunicador brasileiro que se tornou um fenómeno em questões de parentalidade, com milhões de seguidores nas redes sociais e presença habitual em palestras e conferências fala sobre essa naturalidade com que as relações extraconjugais são encaradas pela sociedade, quando se trata de um homem.

Veja aqui outros excertos da entrevista (e a conversa completa):
- Marcos Piangers: "Muitos pais biológicos não são pais. São apenas pagadores de contas" (entrevista completa)
- Marcos Piangers: "As empresas percebem a importância dos afetos"
- Marcos Piangers: "Cabe ao homem fazer tudo o que a mulher faz. E inspirar outros"
- "Pai, larga tudo e vamos mudar de vida." E Marcos Piangers fez o que a filha pediu
- "Eu sei quem você é." O dia em que Marcos Piangers conheceu o pai, aos 34 anos
- Marcos Piangers: "Pai é quem está presente, quem conhece os filhos"

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de