Números Redondos

João Nuno Coelho e João Ricardo Pateiro trazem-nos, todas as sextas-feiras, os números, tendências, marcas, nomes e perspetivas para o fim de semana de futebol.
Emissões entre março e junho de 2019 com João Nuno Coelho e Teófilo Fernando. Emissões entre março e junho de 2019 com João Nuno Coelho e Teófilo Fernando. Emissões entre setembro de 2018 e fevereiro de 2019 com João Nuno Coelho e Nuno Miguel Martins. Emissões entre setembro de 2014 e julho de 2018 com João Nuno Coelho.

À sexta-feira, às 17h35.

As contas a ajustar entre Conceição e Lage

Na antevisão ao clássico olhamos para o duelo entre treinadores: Sérgio Conceição e Bruno Lage, que se defrontam apenas pela quarta vez. E não podiam ser mais diferentes.

Dificilmente Sérgio Conceição e Bruno Lage podiam ser mais diferentes na sua relação com o futebol e no respetivo percurso profissional.

O primeiro foi um jogador de elevado nível, 57 vezes internacional por Portugal, campeão português em três ocasiões (todas no Porto), campeão italiano pela Lazio, vencedor de uma competição europeia (a Taça das Taças, também pela Lazio), entre diversos outros títulos. Já Bruno Lage não se destacou como futebolista e, ao contrário de Conceição, começou a carreira de treinador pelas camadas jovens.

Sérgio Conceição (45) é dois anos mais velho do que Bruno Lage, mas este até começou o percurso como treinador muito mais cedo, em 1997, com somente 21 anos, na formação do Vitória de Setúbal. Depois disso foi técnico nas camadas jovens de vários clubes, incluindo o Benfica, e adjunto de diversos treinadores, com destaque para Carlos Carvalhal, com quem trabalhou por exemplo em Inglaterra. Só em 2018 assumiu pela primeira vez o cargo de treinador principal numa equipa de séniores, na II liga, dirigindo a equipa B do Benfica. E bastou um ano para ser promovido à equipa A, com os resultados que se conhecem.

Quanto a Conceição, nunca foi treinador de camadas jovens ou escalões inferiores. Começou o percurso como técnico de futebol 13 anos depois de Lage, enquanto treinador-adjunto nos belgas do Standard Liége, onde passara quatro anos como jogador. Poucos meses depois iniciava a carreira na I Liga portuguesa ao serviço do Olhanense, tendo depois passagens pela Académica, Braga, V. Guimarães e Nantes, até chegar ao seu clube do coração, o Porto, para preparar a época 2017/18. Nessa época, Conceição conseguiu reconquistar o título nacional para os azuis e brancos, após quatro anos de jejum, a verem o grande rival Benfica completar o seu primeiro tetra.

Apesar de todas estas diferenças entre os timoneiros nos bancos de Porto e Benfica, que se estendem à personalidade (Sérgio é exuberante e emocional; Bruno é contido e racional) e à própria forma como vêm e pensam o futebol, partilham um dado objetivo: têm exatamente o mesmo curriculum em termos de títulos conquistados - um campeonato e uma Supertaça Cândido de Oliveira, sendo que Lage possui a vantagem de ter conseguido estes troféus em menos tempo num grande. Conceição já completou dois anos e meio ao serviço do Porto, enquanto Lage é treinador principal do Benfica há um ano e uma semana.

Aliás, o percurso de Bruno Lage no comando dos encarnados no campeonato português é quase inverosímil: 38 jogos, 36 vitórias, um empate e uma derrota - contando por triunfos todos os encontros disputados fora de casa. Estamos a falar de qualquer coisa como 95% de triunfos.

Comparativamente, Conceição no Porto, em jogo da liga, possui um registo inferior, ainda que bem interessante: 60 vitórias, 10 empates e 7 derrotas, em 87 encontros, o que corresponde a 69% de triunfos.

No entanto, se tivermos em consideração todas as competições as diferenças são muito menores: no Benfica Bruno Lage conta com 78% de triunfos em 63 encontros, enquanto Sérgio Conceição atinge os 73% de vitórias em 146 partidas.

Finalmente, olhemos o curto histórico de confrontos diretos entre os dois treinadores: somente quatro jogos, com vantagem para Sérgio Conceição, que venceu Lage duas vezes - na meia-final da Taça da Liga da época passada, por 3-1, em Braga, e na Luz, na terceira jornada da atual liga, por 2-0.

A única vitória de Lage sobre o Porto de Sérgio Conceição aconteceu na época passada, exatamente no Dragão (2-1), na partida em que o Benfica ultrapassou definitivamente os portistas a caminho da reconquista do título, depois de ter chegado a estar a sete pontos do conjunto de Conceição. Aliás, essa era a vantagem pontual do Porto sobre o Benfica quando Bruno Lage tomou conta da equipa, substituindo Rui Vitória, no dia 2 de Janeiro de 2019.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de