O Bichinho da Rádio

Saúde, comportamento e direito animal, Gente, bichos e a nossa vida em comum.
Para ouvir à segunda-feira, depois das 18h30. Com Dora Pires.

Os cães que vão da Lourinhã para o mundo

À primeira vista a Java é uma associação como outras que acolhem animais errantes e os encaminham para adoção. A diferença, segundo o presidente "é que aqui ficam geralmente pouco tempo, vem gente de todo o país, mas também enviamos para a Holanda, para a Bélgica, para a Áustria".

Nos arredores da Lourinhã, José Henriques só se queixa da falta de meios para poder acolher ainda mais animais. Tem o espaço quase cheio, com cães distribuídos por 58 boxes, mais uns quantos à solta.

O presidente da Associação Java, na Lourinhã, afirma que o segredo é que os nossos cães não fazem impressão a ninguém. São muito bem tratados. Temos aí cães que parecem uns autocarros".

Os pedidos de adoção chegam um pouco de todo o país, mas também há quem "importe" cães desta associação. "Temos protocolos com associações de outros países. Quando são mais que um às vezes vêm buscá-los, outras vezes somos nós que os levamos até lá". Também não falta quem venha de férias para estes lados e no regresso a casa leve um animal.

Holanda, Bélgica ou Áustria são os principais destinos de adoção. Com a particularidade de que há lista de espera para cidadãos austríacos que querem adotar Huskies. "Será por causa do frio", calcula o presidente da Java.

Enquanto falamos com José Henriques somos interrompidos três vezes pelo toque do telemóvel, sempre pessoas que querem dar conta de animais adotados ou preparar outros para levar para casa. José atende sempre, cada telefonema, apesar do incómodo, "desculpe, mas é mesmo assim, estamos sempre abertos".

Consulte aqui outras edições do Bichinho da Rádio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de