Olhe que não

Recuperando para lema a frase que marcou o mais histórico debate da televisão em Portugal, entre Mário Soares e Álvaro Cunhal, Olhe que não traz à TSF visões e opiniões contraditórias em temas como Saúde, Justiça, Educação, Consumo, Segurança, Emprego, Ambiente.
À quarta-feira, depois das 19h00, com Pedro Pinheiro

A terça-feira de Carnaval deve ser feriado?

O Carnaval já lá vai, mas ainda deixou a marca do Entrudo na assembleia da república. Em breve, os deputados vão voltar a pronunciar-se sobre a consagração da terça-feira de Carnaval como feriado nacional obrigatório.

É de novo por iniciativa dos Verdes que o parlamento vai debater e votar, nas próximas semanas, a passagem da terça-feira de Carnaval a feriado nacional obrigatório.

Na prática, trata-se de integrar na lista de feriados um dia que, na opinião do partido ecologista, é já assim considerado "por cidadãos, municípios e vários setores da atividade económica"

Uma proposta que está em consulta pública até ao próximo dia vinte de março e que é em tudo semelhante às duas propostas que, na anterior legislatura, então por iniciativa dos Verdes e do PAN, foram chumbadas pelos votos do PS, PSD e CDS-PP.

A Confederação Empresarial de Portugal (CIP) discorda. Entende que consagrar a terça-feira de Carnaval como feriado obrigatório "terá efeitos negativos sobre as empresas, quer no seu funcionamento, quer em termos económicos".

A CIP defende por isso que o dia continue a ser um feriado facultativo, podendo ser oficializado quer por um município, quer ao abrigo de um acordo de empresa ou de um contrato coletivo de trabalho.

A CIP lamenta ainda que o debate e votação desta proposta - uma alteração à legislação laboral - vá ser feito na assembleia da república, sem passar por qualquer discussão em sede de Concertação Social.

Na edição desta semana do programa "Olhe que Não" cruzamos argumentos sobre esta questão. José Luís Ferreira, líder parlamentar dos Verdes, defendendo porque é que o Carnaval deve integrar a lista de feriados obrigatórios. E Rafael Campos Pereira, empresário, vice-presidente da CIP, explicando porque é que entende que o feriado deve permanecer facultativo.

"Olhe que Não" é um programa de Pedro Pinheiro , com sonoplastia de João Félix Pereira.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de