Postal do Dia

Já ninguém escreve postais, mas a TSF insiste e manda bilhetes postais com destinatário. Em poucas palavras mas com ideias que fazem pensar: "Postal do Dia", com Luís Osório. De segunda a sexta-feira, às 22h45 e sempre em tsf.pt.

A "lata" de José Sócrates deveria ser tese de doutoramento

1.

Sobre José Sócrates não sei o que me surpreende mais.

Se o anúncio de que está a fazer um doutoramento em Relações Internacionais, na Universidade de São Paulo.

Se o anúncio de que se ausenta do país durante semanas mesmo tendo aparentemente termo de identidade e residência.

Se o anúncio de que irá colaborar com Lula da Silva na campanha para as presidenciais no Brasil.

Se o anúncio de que esteve num chat de amigos com Boaventura Sousa Santos que, ainda há uns dias, nos perguntava, num artigo de opinião, se era possível pensarmos com complexidade.

2.

Não sei mesmo o que me surpreende mais.

Talvez o despudor do ex-primeiro-ministro.

É que o problema já não é o processo ou processos, a inocência ou culpa. O problema já não é o escandaloso arrastar do caso, o ter cofres ou não, as fugas de informação, as culpas do Ministério Público.

O problema já não é o que irá acontecer a seguir

Quero lá saber o que irá acontecer a seguir.

O problema já não é o juiz Ivo Rosa.

Ou a herança da mãe ou a amizade com o primo ou o periquito.

3.

O problema é a lata.

O despudor.

A extraordinária lata e a falta de pudor de José Sócrates.

Ele até pode vir a ser inocente - sou suficientemente humilde em relação à vida para saber que tudo pode sempre acontecer.

A questão é que aquele homem foi primeiro-ministro e teve o meu voto nas eleições em que conquistou maioria absoluta, o meu e o de milhões de portugueses. E voltou a ter o voto de milhares e milhares nas eleições seguintes (aí já não o meu).

4.

O problema é que este senhor nos enganou. O problema é que tinha uma vida desbragada, uma vida de luxúria com dinheiro que ia buscar aqui e ali quando, no exercício das suas funções, pedia sacrifícios aos portugueses.

O problema é todo o circo que montou. O poder que acumulou fazendo o que fosse preciso.

O problema é tudo o que ouvimos dizer através da sua defesa, dos argumentos que utilizou, da vida e amigos que tinha, do dinheiro que circulava sem pudor, do modo como tratou a função de primeiro-ministro, da falta de dignidade que emprestou à sua função com a vida que decidiu ter.

5.

Não, o problema não é o que o pode condenar. As alegações de corrupção, os testas de ferro, as seis mil páginas do processo, o branqueamento de capitais ou as falsificações e a fraude fiscal.

Dou isso de barato.

O problema, o que verdadeiramente me incomoda, é o cheiro a lama ética e moral que nos foi atirada à cara por um homem em quem o país confiou e ofereceu uma maioria absoluta.

Isso sim é imperdoável.

Quanto ao doutoramento, às viagens ao Brasil, a Boaventura Sousa Santos ou a Lula da Silva, sinceramente não me apetece.

Hoje não me apetece.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de