Postal do Dia

Já ninguém escreve postais, mas a TSF insiste e manda bilhetes postais com destinatário. Em poucas palavras mas com ideias que fazem pensar: "Postal do Dia", com Luís Osório. De segunda a sexta-feira, depois das 18h00 e sempre em tsf.pt.

O campeão Jorge Fonseca não é digno de vestir a farda da PSP

1.

Jorge Fonseca, bicampeão do mundo de judo e medalhado olímpico, tem um sonho desde criança: o de ser polícia.

O campeão afirmou-o em várias entrevistas, apelando até à possibilidade de alargar na idade o prazo para se poder candidatar à PSP - o que agora o Ministério da Administração Interna, para seu contentamento, aprovou.

A PSP abriu concurso e alargou para 30 anos o prazo de validade para se ser candidato. Jorge Fonseca candidatou-se, mas segundo notícia do Correio da Manhã, reprovou no teste escrito de cultura geral. Teve 7,8 valores e não poderá sequer seguir para as provas de aptidão física.

2.

Portugal tem destas coisas.

O Estado Novo terminou há quase 50 anos, mas a mentalidade de alguns continua ao nível da caserna, da paróquia, da pornográfica burocracia.

Jorge Fonseca tem feito mais pela PSP do que dezenas de campanhas de marketing pagas a peso de ouro. As suas entrevistas, as suas medalhas, a vontade de ser polícia quando cresceu num bairro onde os miúdos pareciam condenados a estar sempre do lado dos que desconfiam da polícia.

3.

Jorge Fonseca é um dos maiores campeões portugueses de sempre.

Negro.

Patriota ainda assim.

Com vontade de vestir uma farda e de cumprir um desígnio que ele considera ser de bem.

Com vontade de dar o exemplo aos miúdos que, como ele quando era criança, são humilhados todos os dias por serem pretos, por serem pobres, por não terem hipótese de ter uma vida digna.

E quando a PSP (e o Estado português) pode usar o trunfo de ter um campeão mundial e medalhado olímpico a usar uma farda chumba-o burocraticamente num exame de cultura geral?

4.

O mesmo exame de cultura geral que não impediu que dezenas de agentes da PSP tivessem estado envolvidos em manifestações de cariz populista, racista e até fascista.

O mesmo exame de cultura geral que não impediu que energúmenos pudessem ser polícias é agora impeditivo de Jorge Fonseca poder cumprir o sonho da sua vida?

É só ridículo.

E um crime atentatório contra a própria PSP que perde a possibilidade de ter uma referência absoluta nos seus quadros - como é possível e de quem é a responsabilidade?

5.

É que não são apenas as medalhas.

Não me esqueço da lágrima que lhe caiu na cara quando recebeu a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos.

Uma lágrima triste, mas ainda assim feliz. Forte, mas ainda assim frágil. Sedenta de futuro, mas ainda assim magoada com um passado em que nada lhe foi dado de borla.

Comeu o pão que o diabo amassou.

Tantas portas que se fecharam na cara, tantos sonhos que carregava numa infância na Amadora.

Era pobre, era preto, era dos subúrbios.

Jorge, o nosso Jorge, que me fez chorar com aquela lágrima de uma tristeza feliz. Porque ele estava condenado a não ser, mas conseguiu subir ao céu em vida.

Aquela lágrima ao ver a bandeira portuguesa, aquela medalha que ele quis tanto que fosse de ouro para poder ser finalmente abraçado por um país que ama, o seu país, que tantas vezes ele achou que o via como um estrangeiro, um indesejado.

6.

Jorge Fonseca, bicampeão do mundo, medalhado olímpico e esperança para o ouro nos próximos Jogos, atingiu o topo dos topos. Foi recebido e condecorado pelo Presidente da República, mas não pode ser polícia por ter chumbado no teste de cultura geral.

1200 lugares em aberto, mas os "mangas de alpaca" que decidem já o excluíram de qualquer possibilidade de poder ser escolhido.

Que tenha a palavra o poder político.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de