Sinais

"Outros Sinais" nas manhãs da TSF, com a marca de água de sempre: anotação pessoalíssima do andar dos dias, dos paradoxos, das mais perturbadoras singularidades. Todas as manhãs, num minuto, Fernando Alves continua um combate corpo a corpo com as imagens, as palavras, as ideias, os rumores que dão vento à atualidade.
De segunda a sexta, às 08h55, com repetição às 14h10.

Nhurros perigosos

Alguém registou em telemóvel e o jornal El Mundo publicou as imagens daquele que é o segundo ataque racista em quatro dias, na zona de Múrcia.

Depois do assassinato de um marroquino em Mazarrón, aos gritos de "mouro", uma mulher apunhalou uma outra, numa fila de alimentos da Caritas, ao mesmo tempo que gritava "Sudaca! Roubam-nos a comida!".

Carmen Posadas, a uruguaia-espanhola vencedora do prémio Planeta, fundou no início dos anos 90 um grupo chamado Sudacas Reunidas. A criação do grupo surgiu na sequência do assassinato de uma imigrante dominicana e a autora de "Cinco moscas azuis" decidiu atribuir todos os anos menções positivas e negativas a quem se distinguisse, de um modo amável ou hostil, na relação com a comunidade latino-americana em Espanha. Posadas contou que surripiou a palavra "sudaca" do dicionário de combate de Francisco Umbral, que a usava de modo depreciativo, tal como acontecia, aliás, no jargão da rua. Posadas e as Sudacas Reunidas tiveram a ideia de convidar o grande Francisco Umbral para um almoço no qual procurariam que as ajudasse a despir, da palavra, a carga depreciativa. Ele respondeu-lhes que não tinha tempo para "monsergas", entenda-se "sermões", "conversa mole". Posadas viria a contar este episódio na mesma coluna do jornal El Mundo que era usada por Umbral. Numa crónica em que homenageia o autor de "Mortal e Rosa", pouco depois da sua morte em 2007, ela recorda que Umbral respondeu com um grunhido, mas, para surpresa geral, passou a usar a palavra "sudaca" de forma amável, "despindo-a de toda a conotação xenófoba, até lhe mudar o significado".

Pelos vistos, as ruas andam cheias de nhurros que nunca leram Umbral nem Carmen Posadas. Nhurros perigosos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de