Sinais

"Outros Sinais" nas manhãs da TSF, com a marca de água de sempre: anotação pessoalíssima do andar dos dias, dos paradoxos, das mais perturbadoras singularidades. Todas as manhãs, num minuto, Fernando Alves continua um combate corpo a corpo com as imagens, as palavras, as ideias, os rumores que dão vento à atualidade.
De segunda a sexta, às 08h55, com repetição às 14h10.

O riso do jacaré

Escutai o que diz, usando o idioma guarani, o cacique da aldeia de Morro dos Cavalos, na Grande Florianápolis:

"Parentes, vamos todos tomar a vacina para que possamos viver um pouco melhor, para que possamos ficar bem da cabeça. Caso contrário, sempre andaremos com medo".

Transcrevo da edição electrónica do jornal O Globo o registo da voz do chefe índio, usando a tecnologia que eu não saberia usar sem ajuda. Deste modo, ele enfrenta o grande vírus negacionista e a desinformação do Planalto, ele chama o seu povo para a vacinação. E uma das fotografias mostra o pajé Dário Tupã, lá em Morro dos Cavalos, segurando um certificado, já depois da toma. O certificado atesta que o pajé recebeu a primeira dose. Está vacinado contra o vírus e contra a desinformação que vinha grassando em Santa Catarina. O jornal conta que, usando eficazmente a tecnologia, os chefes indígenas estão a esclarecer a população deque, ao contrário dos rumores que chegam do Planalto, quem tomar a vacina não virá jacaré.

Quando os mais velhos começaram a morrer de Covid, uma jovem gestora ambiental de Morro dos Cavalos decidiu enfrentar os fazedores de medo. Ela explica que, "culturalmente, os mais velhos são as pessoas que falam e todo o povo ouve". Por isso, falou com os mais velhos e pediu-lhes que fizessem vídeos, que fizessem áudios, que os colocassem no WhatsApp. E assim foi. Morro dos Cavalos devolveu ao Planalto o riso do jacaré.

Tenho vindo a usar Planalto com pê grande. Porque quem lançou o rumor venenoso foi Bolsonaro, de viva voz. Em 19 de Dezembro, com todas as letras de um abecedário manhoso, comentando o facto de a Pfizer não se responsabilizar por efeitos colaterais da vacina: "Se você virar jacaré", disse Bolsonaro, "é problema de você. Não vou falar outro bicho aqui para não falar besteira. Se você virar o super-homem, se nascer barba em alguma mulher aí ou um homem começar a falar fino, eles não têm nada a ver com isso".

No Morro dos Cavalos sabem mais de jacaré do que no Planalto. E até de WhatsApp. Essa é que é essa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de