Sinais

Os "Sinais" nas manhãs da TSF, com a sua marca de água de sempre: anotação pessoalíssima do andar dos dias, dos seus paradoxos, das suas mais perturbadoras singularidades. Todas as manhãs, num minuto, Fernando Alves continua um combate corpo a corpo com as imagens, as palavras, as ideias, os rumores que dão vento à actualidade.
De segunda a sexta, às 08h55 e 14h10

Radio Patinete, la que impulsa tu mente

O título de uma reportagem de Óscar Canalís no jornal digital El Diario junta quatro cores que espalham sobre o leitor um perfume e um sabor: "Malva. Lima. Rosa. Limão." Esta sequência cromática remete para uma passagem de um livro do escritor chileno José Donoso, "O Obsceno Pássaro da Noite". Mas o objecto da reportagem é a nova cara de um colégio instalado numa antiga prisão de mulheres em Saragoça.

Trata-se do Colégio Público Santo Domingo, no coração do bairro El Gancho, situado no centro histórico de Saragoça. El Gancho foi, em tempos não muito longínquos, um bairro mal afamado, considerado perigoso. Hoje é um dos lugares da cidade com mais montra mediática, devido à intensa actividade cultural e ao muito forte sentido comunitário que se traduz em iniciativas associativas de rasgo. Tomemos o caso deste colégio da calle Predicadores que chamou a atenção do repórter de El Diario.

O edifício é um antigo palácio no qual viria a funcionar a Inquisição e que seria, entretanto, transformado em prisão de mulheres. Com este passado, o edifício foi vestindo cores sombrias, ganhou um peso de chumbo que não se compagina com um projecto que pretende envolver num espírito de descoberta toda a comunidade educativa. Uma professora tinha acabado de ler o livro de Donoso e propôs, para as negras paredes do pátio, as quatro cores que afastariam para longe o antigo odor a cera queimada. E assim, as crianças do colégio tomaram em mãos os pincéis para decorar os muros do pátio exterior, com vista para o Ebro. Um professor fala do entusiasmo dessa empreitada. E, face a esse testemunho, somos transportados para um outro livro de José Donoso, editado em Portugal pela Cavalo de Ferro. Em "Casa de Campo", o livro com que o chileno arrebatou o Prémio Nacional de Literatura do seu país e o Prémio da Crítica de Espanha, mais de 30 crianças tomam conta da casa da rica família Ventura, durante um dia inteiro em que os adultos se ausentam. O livro, escrito durante o período em que Donoso viveu numa casa de pescadores na Isla Negra, é um hino às cores e um libelo contra a ditadura.

E que mais acontece no colégio do bairro El Gancho? Coisas estranhas. Uma aula de música transformada em oficina de instrumentos. Uma horta ecológica. Uma oficina onde os alunos aprendem a arranjar bicicletas. E, com a colaboração de uma associação de vizinhos, os alunos do segundo ano puseram em marcha uma rádio. A rádio tem um slogan: Rádio Patinete, a que empurra a tua mente.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de