TSF à Mesa

Portugal fora, as fronteiras entre regiões são traçadas pelas paisagens e pela mesa. Das cidades às serras ou na imensidão das planícies, da melhor tradição portuguesa ao vanguardismo mais ousado. António Catarino sugere um país gastronómico que vale a pena apreciar.

Bons pitéus no Poço

Percorrer no Alentejo, a Nacional 2, estrada que atravessa de lés-a-lés um Portugal esquecido pelo poder político e cada vez mais despovoado, é descobrir um território que, em grande parte escapa aos circuitos turísticos habituais.

Entre Mora e Montemor-o-Novo, ao Km 488 da mítica estrada, O Poço, na aldeia de Brotas, é restaurante que justifica pausa na viagem. Para reconfortar o estômago e apreciar o formoso casario, disposto em curioso anfiteatro. A fazer lembrar um presépio gigante, coroado pelo santuário de Nossa Senhora de Brotas. Edificado no século XV, é um harmonioso conjunto, formado pelo templo e construções anexas e desde então destino de peregrinação associada a uma lenda.

Um pouco mais tarde, no reinado de D. Manuel I, em pleno século XVI, foi construída, nos arredores da povoação, a Torre das Águias. Imponente estrutura fortificada, com 60 aposentos, que terá sido projetada para albergar os fidalgos que rumavam, com frequência, à região para caçar.

A caça está, assim, com toda a justificação, em posição de destaque, na época, na ementa do restaurante que há mais de duas décadas colocou Brotas no mapa gastronómico do Alentejo e da Nacional 2.

Uma estrutura familiar a é o suporte do restaurante, que ganhou forma quando surgiu o convite para participação num concurso de cozinha promovido a nível concelhio.

Na sala acolhedora, simples e rústica, mas confortável, respira-se Alentejo.

As entradas - ovos com farinheira; orelha de vinagreta; torresmos do rissol; linguiça assada - abrem caminho à muito apreciada sopa de cação ou a uma açorda, bem alentejana, com ovo escalfado.

No capítulo seguinte, perfilam-se as migas de espargos bravos com carne de porco. É uma das especialidades, estatuto que reparte com o coelho frito com castanhas e o chispe no forno.

Na época de caça, perdiz estufada e arroz de lebre, pratos outonais por excelência, fazem as delícias dos apreciadores.

Para terminar prazenteira refeição, nada melhor que uma sobremesa alentejana de origem conventual -- -- bolo rançoso, à base de amêndoa, ovos e gila (ou chila), calórico, é certo, mas particularmente saboroso, ou toucinho do céu.

Garrafeira com maioria (lógica) das referências da região, incluindo um vinho de talha, Serviço simpático neste restaurante com uma cozinha regional.

O Poço, em Brotas.

Localização : Brotas (Mora)

Contacto : 266 487 155

GPS : 38.87395 N ; -8.15172 W

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de