TSF à Mesa

Portugal fora, as fronteiras entre regiões são traçadas pelas paisagens e pela mesa. Das cidades às serras ou na imensidão das planícies, da melhor tradição portuguesa ao vanguardismo mais ousado. António Catarino sugere um país gastronómico que vale a pena apreciar.

Coudelaria com pergaminhos

A poucos quilómetros de Lisboa e a curta distância do Porto Alto, a Companhia das Lezírias, instituída em 1836 por carta de lei de D. Maria II, é a maior exploração agro pecuária e florestal existente em Portugal.

A criação de cavalos e de gado bovino, a extração de cortiça e a produção de arroz, vinho e azeite são os maiores pilares da atividade da companhia, que possui 20 mil hectares de terrenos nas lezírias do Tejo e do Sado.

O Centro de Desportos Equestres é um dos polos de atração, mesmo ao lado do restaurante A Coudelaria.

Na liderança deste espaço há pouco mais de um quarto de século, Carlos Samora tem mantido o nível de uma cozinha onde os produtos da companhia e da região são primorosamente trabalhados.

O restaurante enquadrado no ambiente campestre, é destino gastronómico muito procurado em especial aos fins de semana: ao sábado, ou em qualquer dia, para grupos, mediante reserva, o buffet campestre é um hino à gula: várias entradas, cinco pratos quentes e saladas aguçam o apetite para um verdadeiro festim de sabores.

A exposição das entradas, por si só apelativa, convida a provar de tudo um pouco. A sopa rica do cozido completa o naipe de entradas, saboroso preâmbulo dos momentos seguintes: polvo à lagareiro; bacalhau assado com broa; arroz de pato mudo confecionado com arroz carolino da lezíria; carne de novilha grelhada e costela de porco.

O nível culinário revelado pelo quinteto destas iguarias revelou-se elevado, muito em particular o polvo e o bacalhau.

Ao domingo, o mítico cozido de carnes bravas esgota a lotação - uma centena de lugares -- com meses de antecedência, o que traduz qualidade e fama do pitéu.

Na confeção do cozido são incorporadas carnes de novilha brava; todas as peças do porco, entrecosto; entremeada e seis variedades de enchidos.

O suculento conjunto fica completo e mais colorido com cenouras, nabos, batatas, couves portuguesa, lombarda e coração de boi; grão de bico e arroz do cozido.

Ao longo da semana, a lista apresenta pratos variados. O polvo à lagareiro é um ex-libris da casa; outra especialidade, a espetada de novilho.

A mesa de sobremesas é pródiga em doçaria.

A garrafeira é composta, quase em exclusivo pelos vinhos da Companhia das Lezírias neste restaurante com pergaminhos, que funciona ao jantar apenas por marcação prévia.

Restaurante A Coudelaria, no Porto Alto.

Localização: Samora Correia (Benavente)

Contacto : 962 453 760

GPS : 38.87997 N ; -8.86247 W

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de