TSF à Mesa

Portugal fora, as fronteiras entre regiões são traçadas pelas paisagens e pela mesa. Das cidades às serras ou na imensidão das planícies, da melhor tradição portuguesa ao vanguardismo mais ousado. António Catarino sugere um país gastronómico que vale a pena apreciar.

Casa minhota com tradição familiar

No coração do Minho, entre Vila Verde e Caldelas, um restaurante/taberna ostenta o diminutivo da matriarca da família e mantém paradigma tradicional.

No coração do Minho, Vila Verde está envolta por um belo cenário, em tons que justificam a toponímia e tem património edificado: a ponte do Prado, sobre o rio Cávado, reconstruída no período filipino, é monumento nacional; o santuário de Nossa Sr.ª do Alívio, edificado no século XIX, é local de devoção e de romaria.

Nos arredores, a praia fluvial do Faial, na margem do Cávado, é local de veraneio, propício à prática de desportos náuticos, em particular da canoagem.

Na estrada nacional 308, entre Coucieiro e Caldelas, existia há, praticamente meio século a mercearia/venda da D. Virgínia. A Gininha como sempre por ali foi conhecida, fazia uns petiscos que deliciavam quem por lá parava.

Até que, há pouco mais de três décadas, o filho, José Vieira, por alcunha o Zé da Gina, transformou o espaço em restaurante, embora mantendo as características populares da tasca de outrora.

«Gininha», nome dado à casa como homenagem à matriarca da família Vieira, passou a ser uma referência para os apreciadores da cozinha regional, feita sem artifícios, à base de uma culinária sólida, que retira partido de bons produtos.

O espaço é aconchegado, algo acanhado. A intenção de manter as peculiares características da casa de piso térreo, com dois espaços, foi imperativo respeitado.

Um pequeno balcão em madeira, sob um telheiro, evidencia o ambiente rústico da taberna, uma sala pejada de símbolos clubistas e de fotos nas paredes. Muitas figuras do futebol nacional podem comprovar a qualidade das propostas que integram uma ementa minhota por excelência.

Para ouvir: Casa minhota com tradição familiar

Nos petiscos entrantes, pataniscas e um pratinho com tripas ou alheira de caça podem ser boa sugestão.

Mais suculentas, as papas de sarrabulho com rojões ou o cozido à portuguesa, que tem dia certo na semana.

O cabrito assado no forno é especialidade que regra geral alegra almoços e jantares ao fim de semana, mas outro dos pratos icónicos é o arroz pica no chão, o tradicional arroz de frango de cabidela.

Propostas apelativas, nas quais se incluem, entre outras, a emblemática e muito saborosa mendinha de vitela assada no forno e o arroz de pato.

Para terminar em beleza, o pudim abade de Priscos, uma freguesia a poucas léguas dali, ou o leite-creme, são sugestões muito recomendáveis.

Boa garrafeira, com predominância dos vinhos verdes da região. Serviço muito simpático nesta casa popular, com cozinha sólida. À moda do Minho. Gininha, restaurante e taberna, entre Vila Verde e Caldelas.

Onde fica:
Localização: Coucierio - Vila Verde
Telef.: 253 368 503

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de