TSF à Mesa

Portugal fora, as fronteiras entre regiões são traçadas pelas paisagens e pela mesa. Das cidades às serras ou na imensidão das planícies, da melhor tradição portuguesa ao vanguardismo mais ousado. António Catarino sugere um país gastronómico que vale a pena apreciar.

Clássico açoriano de cara renovada mantém qualidades intactas

Na cidade da Ribeira Grande, em S. Miguel, uma casa popular, com mais de três décadas de porta aberta, sofreu obras de remodelação que alteraram por completo o espaço interior, mas a cozinha manteve paradigma açoriano.

A Ribeira Grande, na costa norte da ilha de S. Miguel, a caminho dos famosos campos de chá ou das termas das fumegantes caldeiras, tem na curiosa ponte de oito arcos, construída nos finais do século XIX, um dos ex-libris.

O aproveitamento do antigo mercado do peixe resultou na instalação do museu da Emigração Açoriana, espaço de memória de um movimento social que afetou todo o arquipélago.

A partir de Ponta Delgada, a viagem para chegar aquela cidade é hoje de curta duração, graças à moderna via rápida que liga os dois lados da maior ilha dos Açores.

À entrada da Ribeira Grande, viajando no sentido sul-norte, no sítio conhecido por Ribeira Seca, há mais de três décadas que O Silva é casa de bem comer.

Durante muitos anos, os petiscos e alguns dos pratos mais tradicionais da culinária micaelense foram a base da ementa de um restaurante popular, um clássico de onde ninguém saía defraudado.

Os chicharrinhos, sempre frescos, com molho vilão; polvo guisado com vinho de cheiro; torresmos; morcela com ananás, os bifes à regional ou à casa, e os mariscos: cracas, lapas grelhadas, cavacos, um rol de propostas que fizeram o sucesso da casa.

Como todo o tempo é feito de mudança, a casa sofreu profunda remodelação; modernizou-se, ganhou aspeto mais atraente em termos estéticos. Os tons claros imperam na sala desafogada, preenchida com cadeiras e mesas em madeira, postas de acordo com as tendências atuais.

A ementa manteve a essência que colocou o restaurante no roteiro dos apreciadores da boa comida açoriana.

Das entradas - lapas grelhadas, cracas, mexilhão grelhado, amêijoas, salada de búzios, morcela; queijo de S. Jorge - aos pratos principais, a tradição da cozinha feita com boa matéria-prima manteve-se.

O peixe surge em destaque, para grelhar, cozer ou em filetes -- abrótea, espadarte, boca negra, pampo, cherne - ou para fritar; moreia e chicharros.

A oferta é ampliada com arroz ou massada de cherne; feijoada de gambas.

No setor das carnes, os bifes mantêm-se como uma das especialidades, mas há espetadas; iscas de fígado; lombinhos grelhados.

Para finalizar, as tradicionais queijadas com sabor regional.

Boa garrafeira, com destaque para os vinhos dos Açores. Serviço diligente simpático neste restaurante que mantém uma cozinha de genuínos sabores açorianos. O SILVA, na Ribeira Grande, S. Miguel, Açores.

Localização: Ribeira Grande, S. Miguel (Açores)

Telef.: 296 472 641 ; 917 725 881

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de