TSF à Mesa

Portugal fora, as fronteiras entre regiões são traçadas pelas paisagens e pela mesa. Das cidades às serras ou na imensidão das planícies, da melhor tradição portuguesa ao vanguardismo mais ousado. António Catarino sugere um país gastronómico que vale a pena apreciar.

Taberna Santo António: casa típica portuense com nome de santo popular

Em pleno centro histórico do Porto, uma casa simples e popular, de cozinha sólida, mantém o lado mais tradicional da gastronomia local. Dos petiscos aos pratos substanciais.

Com o solstício de verão começa a contagem decrescente para a festa em honra de um dos santos mais populares: S. João.

A noite de 23 para 24 de junho tem histórica tradição um pouco por todo o país e muito em particular no Porto, cidade onde o santo é festejado de uma forma vibrante. Das Fontainhas à Ribeira, da Boavista à Foz do Douro, a noite é de incrível folia nas ruas e praça da cidade Invicta.

Com menos alho-porro e mais martelinhos de plástico; com incontáveis balões subindo nos céus para gáudio da miudagem; com as tradicionais cascatas em honra do santo da cidade; com muita sardinha assada nos arraiais dos bairros mais populares.

Ou na mesa dos restaurantes mais típicos, que vão resistindo no velho burgo portuense à onda turística, que tende, infelizmente, a descaracterizar uma gastronomia tão rica quanto única.

Na tripeiríssima rua das Virtudes, a dois passos do Passeio de onde é possível desfrutar uma das mais belas vistas da cidade, com a ponte da Arrábida e foz do rio Douro em pano de fundo, a Taberna Santo António é, desde há três décadas, conhecida pela cozinha à moda do Porto. Simples e bem feita. Sem rodriguinhos.

Da cozinha liderada pela D. Hermínia sai uma comida que aconchega o estômago, seja no formato petisqueiro, seja em doses bem servidas.

Tudo sem luxos, numa casa pequena em termos de espaço, com paredes em pedra, mas grande na alma de quem comanda os fogões.

Para começar, os famosos bolinhos -- noutras latitudes, pastéis - de bacalhau, que gozam de um estatuto especial, tal a qualidade. Da culinária à fritura.

Bôla de carne, à fatia; chamuças e o famoso rissol servido num pão alimentam o capítulo de petiscos, onde figuram a tábua mista de enchidos e queijo e o pratinho de presunto.

A canja, muito saborosa, é uma das especialidades, estatuto que distingue as pataniscas de bacalhau, verdadeiramente divinais, com arroz de feijão.

Na ementa diária podem surgir arroz de costelinhas; pernil assado; vitela estufada com puré; pá de porco assado; panado especial; lombelos ao alho ou bacalhau assado no forno.

Na época mais fria, o cozido à portuguesa é atração ao domingo, de quinze em quinze dias.

Para terminar em beleza, nada melhor que mousse de chocolate, uma sobremesa caseira, confecionada com particular carinho e um segredo que permanece bem guardado.

Garrafeira suficiente. Vinho a copo. Serviço familiar nesta casa de ambiente popular, boa relação preço-qualidade e cozinha sólida. Muitas virtudes na rua das ditas. Taberna Santo António, no Porto.

Localização: Porto

Telef.: 22 205 53 06

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de