TSF à Mesa

Portugal fora, as fronteiras entre regiões são traçadas pelas paisagens e pela mesa. Das cidades às serras ou na imensidão das planícies, da melhor tradição portuguesa ao vanguardismo mais ousado. António Catarino sugere um país gastronómico que vale a pena apreciar.

O Clássico matosinhense que não passa de moda

No universo da restauração de Matosinhos, onde proliferam os estabelecimentos vocacionados para o peixe grelhado, a escolha não fica limitada a este tipo de oferta.

Outros espaços tornam diversificado o leque de opções, oferecendo uma cozinha de latitudes diversas, mais ou menos sofisticada, ou apostando numa culinária tradicional, de raiz portuguesa,

Na avenida Serpa Pinto, uma das movimentadas artérias centrais da cidade, que foi ex-líbris da indústria conserveira, O Clássico foi restaurante que, desde 2013, com o empenho e profissionalismo do casal Odete e António ganhou um lugar especial, marcou a diferença, com propostas aliciantes. Baseadas na qualidade da matéria-prima, aposta nos assados e numa culinária rigorosa. Feita com paixão.

Nove anos depois, o sucesso alcançado ditou a mudança. Não de paradigma, mas de espaço. No início do pretérito mês de dezembro, O Clássico renovado abriu quase ao lado do antigo. Maior, com 80 lugares disponíveis; mais acolhedor, atraente, moderno e confortável; sóbrio na decoração bem conseguida.

A sala, muito espaçosa, permite configurar um espaço mais reservado e a esplanada, ao fundo, promete sucesso em tempo de verão.

Os trunfos que marcaram o ciclo anterior continuam com lugar cativo na carta: vitelinha e cabrito assados no forno e os pratos de bacalhau.

Para começar, pratinhos com presunto ou com pataniscas fofas e saborosas dão o mote.

Nos pratos com sabor marítimo, há cabeça de pescada cozida com todos; espetadas de lulas com gambas ou de polvo; arroz de tamboril e de marisco; polvo à lagareiro, peixe do dia grelhado e bacalhau: com broa ou assado na brasa.

Nas carnes, a vitelinha assada no forno é algo de esplendoroso, que faz exultar as papilas gustativas quando chega à mesa: carne de tenrura exemplar, a desfazer-se, literalmente na boca. As canónicas batatinhas assadas garantem tradicional acompanhamento, completado com arroz branco e legumes. Um hino ao paladar!

No mesmo patamar qualitativo, está o cabritinho assado no forno, outro ex-líbris da casa.

Posta à chefe e costeleta de vitela cachena - raça autóctone das serranias da Peneda - são outras opções, que se destacam entre dois tipos de bifes: da vazia grelhado ou do lombo na brasa.

O carrinho de sobremesas dá requintada doce nota final, circulando entre as mesas ajoujado de doçarias e queijos. Pão de ló; tarte merengada e um pudim a justificar boa nota.

Carta de vinhos vasta e diversificada, incluindo uma dezena de verdes.

Serviço simpático.

O Clássico, em Matosinhos, conserva intactos os atributos que o colocaram num patamar especial. Sempre na moda.

Localização: Matosinhos

Contacto : 229 381 534

GPS : 41.18284 N; -8.69339 W

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de