TSF à Mesa

Portugal fora, as fronteiras entre regiões são traçadas pelas paisagens e pela mesa. Das cidades às serras ou na imensidão das planícies, da melhor tradição portuguesa ao vanguardismo mais ousado. António Catarino sugere um país gastronómico que vale a pena apreciar.

Um Poço de pitéus na Nacional 2

A Nacional 2, rodovia que, nos últimos anos, tem vindo a suscitar crescente interesse, permitindo a quem a percorre um melhor conhecimento de Portugal, rasga o país de lés-a-lés e dá ao viajante a possibilidade de uma visão a preto e branco do interior cada vez mais despovoado e calcinado pelo flagelo dos incêndios.

Seguir viagem pela Nacional 2 é descobrir parte de um Alentejo que escapa aos circuitos turísticos mais tradicionais.

Entre Mora e Montemor-o-Novo, a castiça localidade de Brotas é um desses locais que escapa aos menos atentos.

Dá a sensação, a quem lá chega, que se trata de uma pérola algo e esquecida e cujo brilho desperta o visitante para o formoso casario, disposto em curioso anfiteatro, a fazer lembrar um presépio gigante.

No cimo, a igreja de Nossa Senhora de Brotas, local de peregrinação desde o século XV, está associada a curiosa lenda local.

Um pouco mais tarde - no século XVI, no reinado de D. Manuel I - foi construída, nos arredores da aldeia, a Torre das Águias, imponente estrutura fortificada, com 60 aposentos, para albergar, segundo consta, os fidalgos que, com frequência, caçavam nas redondezas.

A caça, na época, está desse modo, com plena justificação, em lugar de destaque na ementa do restaurante O Poço, que ao quilómetro 488, colocou Brotas no mapa gastronómico do Alentejo e da Nacional 2 há mais de duas décadas.

Uma estrutura familiar - pais e filha - é a base do restaurante, que ganhou notoriedade na sequência do convite para participação num concurso concelhio de cozinha.

O espaço não apresenta grande luxos, de ambiente descontraído e com pormenores rústicos na decoração.

O manancial de entradas é tentador - ovos com farinheira; orelha de vinagreta; torresmos do rissol; linguiça assada - e abre caminho às especialidades da casa: sopa de cação e migas de espargos bravos.

A tradicional açorda alentejana é outra proposta com sabor regional.

O coelho frito com castanhas e o chispe no forno são pratos de igual modo muito apreciados

Na época de caça, brilham a perdiz estufada e o arroz de lebre, propostas outonais por excelência.

Para concluir, nada melhor que a doçaria regional: o bolo rançoso, calórico, é certo, mas particularmente saboroso, recomenda-se. O toucinho do céu é outra opção no capítulo de sobremesas.

Na garrafeira, os vinhos da região estão em maioria. Serviço simpático.

Em Brotas, há um Poço de bons pitéus alentejanos, que traduzem uma cozinha simples, mas autêntica, feita com seriedade, que justifica uma pausa na viagem através da Nacional 2.

Localização: Brotas (Mora)

Contacto: 266 487 155

GPS : 38.87713 N ; -8.15133 W

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de