TSF à Mesa

Portugal fora, as fronteiras entre regiões são traçadas pelas paisagens e pela mesa. Das cidades às serras ou na imensidão das planícies, da melhor tradição portuguesa ao vanguardismo mais ousado. António Catarino sugere um país gastronómico que vale a pena apreciar.

Uma Taberna do Xisto vizinha de castelo granítico

O Castelo de Santa Maria da Feira é o ex-líbris monumental da cidade onde há uma taberna moderna, com esplanada convidativa e uma extensa e variada lista de petiscos e outras iguarias.

Exemplo magnífico da arquitetura militar da Idade Média, o castelo da Feira é o ex-líbris monumental da cidade nortenha, por onde passava, nos tempos da ocupação romana, a estrada que ligava Olissipo (Lisboa) a Braccara Augusta, hoje Braga.

Nas cercanias da fortificação realizava-se, desde os tempos da reconquista cristã, a feira de Santa Maria, que acabou por estar na origem do atual nome da cidade, que foi Vila da Feira até 1985.

O castelo de Santa Maria da Feira foi também um posto de pagamento dos tributos; alvo de obras de restauro, tornou-se um monumento bastante visitado e que se avista, praticamente, de qualquer ponto da cidade.

A esplanada coberta da Taberna do Xisto, na rua Dr. Vitorino de Sá, é um desses locais, particularmente agradáveis, pela envolvência verdejante e panorâmica que oferece.

Para ouvir: Uma Taberna do Xisto vizinha de castelo granítico

O restaurante, aberto em 2013, é um espaço pleno de modernidade e de conforto. O tom castanho-escuro da madeira das mesas e cadeiras destaca-se na sala com apontamentos em xisto e boa luz natural.

Ambiente descontraído. Amesendação com um toque minimalista, de acordo com as tendências modernas.

Os petiscos marcam pontos na lista quase infindável: Alheira à Brás, um dos ícones deste capítulo em que sobressaem molete recheado; tábua de enchidos de caça, bochecha de porco à taberneiro, salada de bacalhau; alheira com ovos de codorniz; folhados de bacalhau; pão do taberneiro; amêijoas na frigideira.

Mudando de capítulo e passando aos pratos de resistência, perfilam-se o polvo - à lagareiro ou em filetes de polvo com arroz dito do mesmo; bacalhau em três variações - com presunto; supremo com broa ou grelhado; espetada de peixe e lulas grelhadas à Nazaré.

O teor marisqueiro surge associado à fruta na espetada de gambas e lulas ou na carilada de camarão. Outra proposta apelativa é o camarão tigre na brasa com molho de ervas.

A oferta cárnica é vasta e suculenta, destacando-se os aclamados tornedó no xisto e bife folhado com cogumelos.

Outras opções são, nomeadamente, rojões na caçarola com arroz de enchidos; posta de vitela à serra; espetada de javali e veado; churrascão de boi com ervas aromáticas; costeleta T-Bone e filet mignon com gamba.

Nas sobremesas, brilha a tortura, mas também há pudim da taberna e uma lista vasta de sugestões.

Garrafeira de bom nível. Serviço simpático nesta Taberna do Xisto. E de qualidade. Em Santa Maria da Feira, a olhar o castelo.

Onde fica:
Localização: R. Dr. Vitorino de Sá, 24 4520-224 Santa Maria da Feira
Telef.: 910 195 022

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de