TSF Pais e Filhos

Como a intuição não chega e eles não nascem com livro de instruções, a TSF propõe um programa para partilhar ideias, conselhos de quem sabe (desde os conselhos técnicos de pediatras e psicólogos, aos conselhos de pais), propostas de lazer, de brincadeiras, de passeios e reportagem. Sem nunca deixar de responder às dúvidas dos pais, vamos também ouvir os filhos. Com coordenação de Rita Costa e sonoplastia de Miguel Silva.
De segunda a sexta, às 08h40 e 16h40

A falta de ar livre pode aumentar a ansiedade das crianças

Há jardins e o tempo quase sempre convida, mas as crianças portuguesas passam pouco tempo ao ar livre e isso pode ter consequências ao nível bem-estar emocional. É o alerta da psicóloga clínica Sónia Gaudêncio.

Um estudo recente da Escola Superior de Educação de Coimbra concluiu que apenas 2% das crianças portuguesas brincam ao ar livre. No estudo "Portugal a brincar" que se debruçou sobre os hábitos de brincadeira até aos dez anos, os investigadores chegaram à conclusão que apesar de haver parques e espaços verdes, as crianças brincam pouco na rua.

"Não é estranho para nós que, de facto, a falta de ar livre possa dar azo a que existam mais problemas a nível de ansiedade, de stress e de depressão até", afirma a psicóloga clínica Sónia Gaudêncio.

O contacto com a natureza ajuda a baixar os níveis de cortisol (a hormona do stress) e consequentemente diminuir os níveis de stress. Por isso, a psicóloga defende que é muito importante, até ao nível do desenvolvimento motor das crianças, que elas possam brincar ao ar livre, experimentar e subir às árvores.

"Claro que há questões de segurança que levam os pais a não permitirem isso, mas existem espaços verdes, jardins e espaços infantis e é preciso apostar um bocadinho nessas brincadeiras por que são saudáveis a todos os níveis", sublinha Sónia Gaudêncio.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de