TSF Pais e Filhos

Como a intuição não chega e eles não nascem com livro de instruções, a TSF propõe um programa para partilhar ideias, conselhos de quem sabe (desde os conselhos técnicos de pediatras e psicólogos, aos conselhos de pais), propostas de lazer, de brincadeiras, de passeios e reportagem. Sem nunca deixar de responder às dúvidas dos pais, vamos também ouvir os filhos. Com coordenação de Rita Costa.
De segunda a sexta, às 08h40, com repetição às 16h40. Edição alargada à terça-feira, às 18h45.

António Vitorino d'Almeida num concerto/conversa com o público mais jovem

A abrir o terceiro e último dia do Ciclo de Concertos de Coimbra e a fechar o fórum "saber ouvir", António Vitorino d'Almeida apresenta-se dia 30 de maio no Conservatório de Música de Coimbra para um concerto/conversa, sobre a música e as peças que mais lhe tocaram.

No palco, além do maestro vai estar um piano, mas o resultado vai depender da plateia. António Vitorino d'Almeida conta que neste tipo de atuações há 90% de improviso.
"É preciso tomar o pulso à plateia, saber o que é que as pessoas querem saber, o que é que as pessoas querem ouvir, porque levar um discurso preparado sem se conhecer a plateia é muito perigoso e, portanto, antes de uma coisa como esta eu não faço a mínima ideia de quais vão ser as minhas táticas", revela.

Quanto ao piano, o maestro começa por dizer que seria a mesma coisa ter um leitor de cd 's para dar exemplos, mas seria? "Admitamos que vou também tocar, mas isso vai também depender do público. Eles querem? Então vai".

Questionado sobre se é igual tocar para um público infantil, António Vitorino d'Almeida afirma que não. Acredita que para conquistar crianças pequenas é preciso uma orquestra inteira cheia de estímulos e, por isso, não espera fascinar crianças de cinco anos estando só com um piano, mas talvez capte a atenção de crianças um pouco mais velhas. " A primeira vez que me interessei pela música, tinha por aí cinco anos ou coisa parecida foi ao ver um filme em que entrava um maestro chamado Leopold Stokowski, que tinha assim uma cabeleira branca e que conduziu a 5ª Sinfonia de Tchaikovsky. Antes disso nunca me tinha interessado por música. Isso fascinou-me, mas muito dificilmente eu iria fascinar-me aos cinco anos por ver um pianista a tocar piano." Mas aprende-se a ouvir, reconhece.

A conversa/concerto marcada para domingo, dia 30 de maio, às 11h30 no Conservatório de Música de Coimbra reserva assim muitas surpresas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de