Pais, elogiem mais e critiquem menos

"Se o nosso chefe chegasse ao pé de nós a apontar tudo o que fizemos mal, será que tínhamos vontade de fazer alguma coisa de forma diferente?" A questão é lançada por Joana Laranjeiro que aconselha os pais a colocarem-se no lugar dos filhos.

Mais elogios e menos críticas negativas. Joana Laranjeiro, autora do blogue Mãe Catita e do livro "Eu sou Super! Pequenos exercícios para uma grande autoestima" acredita que esse é meio caminho andado para que as crianças tenham mais amor-próprio.

"O que fazemos muito na parentalidade é apontar o que está mal e não o que está certo, e isto, a longo prazo, cria uma autoimagem muito negativa", assegura Joana Laranjeiro, que acredita que, quando os pais apontam só o que está errado, não dão à criança a referência do positivo.

Joana sugere que se reforce o positivo, para que o positivo cresça e o negativo tenha outro comportamento. E isso, defende, pode ser feito através de perguntas às crianças. Em vez de dizerem" fizeste tudo mal", os pais podem perguntar, por exemplo, " o que é que podes fazer de forma diferente?".

Dar destaque ao processo e não ao erro é uma boa maneira de fazer crescer a autoestima da criança, acredita Joana Laranjeiro.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de