TSF Pais e Filhos

Como a intuição não chega e eles não nascem com livro de instruções, a TSF propõe um programa para partilhar ideias, conselhos de quem sabe (desde os conselhos técnicos de pediatras e psicólogos, aos conselhos de pais), propostas de lazer, de brincadeiras, de passeios e reportagem. Sem nunca deixar de responder às dúvidas dos pais, vamos também ouvir os filhos. Com coordenação de Rita Costa e sonoplastia de Miguel Silva.
De segunda a sexta, às 08h40 e 16h40

Mais do que brinquedos, as crianças precisam de brincadeiras e de calma

"Não é preciso ter muitos brinquedos. O que é preciso, acima de tudo, é brincar", defende o professor e investigador Carlos Neto.

É preciso dar espaço às crianças e ensiná-las a viver devagar e a darem valor à simplicidade. "Uma coisa é brincar com brinquedos, outra coisa é brincar com o corpo e com o espaço, o mais difícil é ser simples", acredita Carlos Neto.

"No meio deste desenvolvimento desenfreado do ponto de vista civilizacional, necessitamos de ser capazes de fazer um reseat para percebermos o que é a nossa identidade, o nosso silêncio, a nossa capacidade de introspeção e de reflexão."

Para o professor e investigador da faculdade de Motricidade Humana é muito importante que os pais tenham consciência de quando estão a viver depressa demais e saibam perceber as diferenças quando estão a ser capazes de se controlarem. Essa consciência, defende, permite passar tranquilidade aos filhos. As crianças, tal como os adultos, precisam de aprender a viver devagar. E no caso dos mais novos, viver devagar significa brincar livremente, brincar com o corpo e com o espaço.

Carlos Neto acredita que muitos dos atuais problemas de saúde resultam do descontrolo, da falta de tempo e da correria. Por isso, pede calma.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de