TSF Pais e Filhos

Como a intuição não chega e eles não nascem com livro de instruções, a TSF propõe um programa para partilhar ideias, conselhos de quem sabe (desde os conselhos técnicos de pediatras e psicólogos, aos conselhos de pais), propostas de lazer, de brincadeiras, de passeios e reportagem. Sem nunca deixar de responder às dúvidas dos pais, vamos também ouvir os filhos. Com coordenação de Rita Costa e sonoplastia de Miguel Silva.
De segunda a sexta, às 08h40 e 16h40

Moedas? Notas? Que mesada dar às crianças?

A mesada é um importante instrumento para a criança iniciar a sua gestão financeira. No entanto, para os pais, a tarefa de escolher o valor da mesada não é fácil.

Susana Albuquerque, especialista em educação financeira, propõe que os pais deem "um euro por semana, em dez moedas de dez cêntimos" a cada semana às crianças, assim que iniciam a escola primária. Desta forma, "as crianças podem escolher quantas moedas põem para poupar, quantas para gastar e quantas para doar".

Mais tarde, os pais devem decidir qual o propósito da mesada. Os pais têm de definir se a mesada irá servir para as crianças lancharem na escola, comprarem material ou comprarem um lanche por semana, por exemplo. Assim que ficar estabelecido, os pais devem dar às crianças "um bocadinho a mais" para aprenderem a poupar.

"Porque, imagine-se, se o lanche na escola custa cinco euros e eu só dou cinco euros [à criança], eu estou a propor que ela, caso queira poupar, não coma o lanche", por isso, Susana Albuquerque aconselha a dar ''um bocadinho mais'' para que lhes seja permitida a escolha de pouparem.

Ainda assim, sublinha a especialista, os pais devem assentar regras básicas: "[O dinheiro] não pode servir para coisas que façam mal à saúde ou sirvam para comportamentos de risco".

No fundo, defende Sara Albuquerque, os pais devem começar a dar uma mesada pequena e ir, gradualmente, aumentando o valor. Primeiro, as moedas, depois, as notas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de