TSF Pais e Filhos

Como a intuição não chega e eles não nascem com livro de instruções, a TSF propõe um programa para partilhar ideias, conselhos de quem sabe (desde os conselhos técnicos de pediatras e psicólogos, aos conselhos de pais), propostas de lazer, de brincadeiras, de passeios e reportagem. Sem nunca deixar de responder às dúvidas dos pais, vamos também ouvir os filhos. Com coordenação de Rita Costa.
De segunda a sexta, às 08h40, com repetição às 16h40. Edição alargada à terça-feira, às 18h45.

Governo quer professores a dedicar mais tempo à leitura em sala de aula

Perante o retrocesso nas aprendizagens, designadamente no domínio da leitura e da escrita devido à pandemia, o Ministério da Educação resolveu reforçar as recomendações para uma maior aposta no contacto com os livros e com práticas de leitura. O tempo dedicado a essas atividades deve ser no mínimo de uma hora por dia no 1º ciclo e uma hora por semana no 2º.

"Quanto mais leio, mais gosto de ler." É com essa certeza que o secretário de estado da educação defende a necessidade de "puxar a leitura como prática regular para o interior da sala de aula".

"Neste pós pandemia (que esperemos que seja pós) temos noção de que uma das competências que saiu claramente prejudicada e, sobretudo, entre os mais novos que têm menor autonomia foi a leitura", revela João Costa que reconhece que também nesta matéria houve um acentuar das desigualdades. O secretário de estado lembra que durante os confinamentos houve crianças que ficaram em ambientes pouco impulsionadores do hábito de leitura e acabaram por ser mais prejudicadas quando comparadas com crianças que em casa têm um ambiente com livros e onde se estimula a leitura.

Para procurar equilíbrios e estimular o gosto pela leitura, competência que o Ministério da Educação considera fundamental para o sucesso dos alunos pela forma como influencia as aprendizagens em todas as áreas curriculares foram criados roteiros de apoio à Leitura Orientada em Sala de Aula onde se pede aos professores do Ensino Básico que "reforcem as atividades em torno do livro, lendo com os alunos uma hora por dia no 1.º ciclo e uma hora por semana no 2.º ciclo".

João Costa acredita que o gosto pela leitura também se ensina. "Um dos grandes preditores do hábitos de leitura é ouvir falar de livros, é discutir livros. Portanto, a Leitura Orientada em Sala de Aula propõe atividades de leitura, em que não se está a ler, mas depois lê-se a pares, fala-se do que se está a ler, comenta-se os livros, estabelece-se relações com outros livros que se podem ler e isto nós sabemos, está documentado, é um grande impulsionador do gosto pela leitura.

As orientações, sugestões de livros e propostas de atividades estão à disposição dos professores e das famílias num novo espaço digital do PNL2027.

"A velocidade de leitura, o prazer pela leitura e o saber ler estão sempre de mãos dadas", garante o secretário de estado da educação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de