TSF Pais e Filhos

Como a intuição não chega e eles não nascem com livro de instruções, a TSF propõe um programa para partilhar ideias, conselhos de quem sabe (desde os conselhos técnicos de pediatras e psicólogos, aos conselhos de pais), propostas de lazer, de brincadeiras, de passeios e reportagem. Sem nunca deixar de responder às dúvidas dos pais, vamos também ouvir os filhos. Com coordenação de Rita Costa.
De segunda a sexta, às 08h40, com repetição às 16h40. Edição alargada à terça-feira, às 18h45.

Segurança online: os conselhos da PSP para as famílias

No dia Europeu da internet mais segura, a PSP deixa uma série de recomendações para as famílias atendendo, ao facto de que, com as aulas à distância, as crianças passam mais tempo na internet. Do ciberbullying às burlas, a polícia assinala os principais riscos e o que se deve fazer para preveni-los.

Devido ao confinamento, este ano a Polícia de Segurança Pública não vai fazer as habituais campanhas de sensibilização nas escolas, mas faz questão de sensibilizar as famílias. "A PSP acompanha este retorno às atividades em espaço virtual e retomar as suas atividades preventivas no âmbito do programa Escola Segura. O papel da polícia, sobretudo neste reinício de aulas e, atendendo ao cenário social que todos nós estamos a atravessar, passa desta vez, escolha nossa, por sensibilizar os pais", explica Hugo Guinote, coordenador nacional do policiamento de proximidade.

Com fenómenos como o bullying a migrarem para as redes e o aumento da exposição a outros riscos a aumentar, Hugo Guinote deixa, desde logo, três conselhos essenciais: "monitorizar se filhos estão a desenvolver contactos com pessoas estranhas, nomeadamente a aceitar pedidos de amizade ou a entrar em chats com desconhecidos; o segundo ponto é monitorizar a eventual partilha de imagens mais íntimas; e o terceiro passo que os pais devem dar é prevenir o ciberbullying".

O subintendente explica que, no caso do ciberbullying, exige-se que os pais estejam particularmente atentos aos comportamentos de agressão, de ameaça, de injúria, de difamação, perseguição ou devassa da vida privada. "São um conjunto de crimes que nós percebemos que estão a ser cometidos quando, nas mensagens, sejam de texto, sejam de imagem, aparecem os insultos, as intimidações, a humilhação, a ofensa, a perseguição, o assédio ou a exclusão sistemática de determinados grupos de conversação quando se percebe que isso é penalizador", explica.

Mas como referiu anteriormente Hugo Guinote, os riscos na internet não se ficam pelo ciberbullying e, por isso, a PSP enumera uma série de cuidados que as famílias devem adotar. O primeiro tem a ver com a segurança das palavras-chave. "Os mais jovens já vão sabendo que as passwords não devem ser compostas só por números, devem combinar os números com letras e não devem ser utilizadas datas nem nomes próprios." Além disso, as passwords não devem ficar guardadas e acessíveis. Os perfis devem ser privados e "os amigos devem estar restritos, sobretudo nos grupos em que entram". Nas fotografias não devem ser identificados nem os locais, nem as pessoas. E as câmaras do computador e do telemóvel devem estar tapadas. "É fundamental esta ação, apenas destapam quando estiverem efetivamente em reuniões com pessoas que conheçam", sublinha o coordenador nacional do policiamento de proximidade da PSP. Além disso, não devem ser combinados encontros pelas redes e "menos ainda com pessoas desconhecidas", acrescenta Hugo Guinote.

Por fim, a PSP alerta para as burlas online: "Atenção às burlas nos produtos que são comercializados online, sobretudo nesta altura é naturalmente o mercado mais apetecível. É preciso ter cautela e optar sempre por ir por sites oficiais de comerciantes já conhecidos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de