Um dia de cada vez

De novo obrigados a Um Dia de Cada Vez, de que fazemos os dias? A jornalista Teresa Dias Mendes reabre a janela da rádio e dá-nos a ver o modo como se resiste a um novo isolamento.
Para ouvir à quinta-feira, pelas 13h20 e em TSF.PT

Porque conversar é caminhar com palavras

Um dia de cada vez

Um Dia de Cada Vez - Família Sónia Tavares e Fernando Ribeiro

Amanhã será bem melhor

O pequeno Fausto chega a trautear o tema Under Pressure, entre dentes, ali no sofá, afastado do microfone que hoje liga os pais à rádio. Tem as antenas na conversa, ou porque ouve o nome dele, ou porque alguma palavra lhe chama a atenção, ou porque sim, mas o Fausto está na vida dele, em casa, como gosta de estar. E nisso tem a quem sair. O pai e a mãe são gente caseira, capazes de entreter e de se entreterem. Estão, também eles, em teletrabalho, tocando a música desta vida confinada. Sónia Tavares e Fernando Ribeiro, reinventam o tempo. A casa pode ser um palco. Um dia de cada vez.

Helena Melim Borges é um dos rostos da Gulbenkian

 A "alegria" do Jardim de Verão

Há quatro anos que Helena Melim Borges faz parte da equipa que desenha os sons e as formas da programação de julho, da Fundação Calouste Gulbenkian. Este ano foi preciso reinventar o jogo da descoberta, e a galeria ZDB ( Zé dos Bois) aceitou o convite para despertar os sentidos confinados pela pandemia. A parceria está montada com normas de acesso que cuidam a linguagem, sem mascarar ou inibir o prazer da surpresa e da reflexão. Um fim de semana de cada vez.

Fernando Alves entrevistado por Teresa Dias Mendes

"Os dias eufóricos da rádio"

O dia 1 está quase apagado na memória dele. Nítido é o outro primeiro dia, anterior, o dia em que entra no edifício da rádio pela primeira vez (ali ao lado da cervejaria TANTAN, onde comia amendoins e se bebiam as primeiras minis), para fazer o programa do jornal de parede do liceu de Benguela, "Vento Novo". O miúdo a quem já sopravam a alcunha do Crónicas (ele explica) haveria de nos soprar muitos ventos pela janela da rádio, 50 anos de ventos, na voz inconfundível do jornalista Fernando Alves.