Um dia de cada vez

O que é preciso é viver Um Dia de Cada Vez! O que é preciso é dizer Um Dia de Cada Vez. A jornalista Teresa Dias Mendes abre a janela da rádio e interroga a dura prova da passagem dos dias: os receios, os novos desafios, o modo como se resiste a um isolamento exigente.
Para ouvir de segunda a quinta-feira, depois das 19h00 e em TSF.PT

Porque conversar é caminhar com palavras

Dois Violinos no desconcerto do mundo

Mi lá ré e sol, as 4 notas do violino, dobram a escala em casa de Evandra Gonçalves e Álvaro Pereira. Os dois músicos da Orquestra Sinfónica do Porto - Casa da Música, ensaiam os sons do desconfinamento para o concerto do próximo sábado. Desta vez, contudo, Evandra não subirá ao palco, talvez assista a um ensaio na plateia, com os gémeos aconchegados na barriga. Uma casa da música, só deles.

Sebastião e Rodrigo chegam em Agosto. Os gémeos já reconhecem os sons do violino, habituados a escutar a mãe e o pai. Evandra Gonçalves e Álvaro Pereira são membros da Orquestra Sinfónica do Porto - Casa da Música. Evandra é tutti, " ando por ali", Álvaro é segundo concertino, " sou hierarquicamente superior". Os dois riem-se e harmonizam a melodia das palavras, explicando o lugar que cada um ocupa na orquestra. Conheceram-se por causa do violino, ela já era professora, ele aluno do 12ª ano, na ARTAVE, Escola Profissional Artística do Vale do Ave, " em 2004, talvez...". Depois cada um seguiu as suas cordas. Evandra Gonçalves completou a formação nos Estados Unidos, entre Chicago e Los Angeles. Álvaro Pereira viajou para São Petersburgo, na Rússia, no embalo da maior escola de tradição violinística. Anos mais tarde, haveriam de se enamorar. E o violino ali, sempre tão perto. Afinam um pelo outro.

Cada um tem o seu Capela, o de Evandra foi oferecido pelos pais em 1991, " o tudo ou o pouco que fiz foi com este violino", explica a música, reforçando o sentimento que a prende ao instrumento. O dele, é de 1973, mais antigo, " também já me trouxe muitas alegrias, como o lugar de segundo concertino na orquestra da Casa da Música". O violino faz diferença, numa prova assim? " Ajuda, claro que sim", mas Álvaro Pereira fala de uma prova dura, que exige muitas horas de treino," como um atleta de alta competição". Hoje, ele já ensaiou com a orquestra. O reencontro com os outros músicos é outro momento de alegria enorme. O concerto marcado para sábado, será um alívio, " a nossa vida é tocar e fazer música para partilhar com o público. Voltar é um alívio". A ansiedade dos últimas semanas pode finalmente passar. E Evandra, que confessa algumas insónias neste período de quarentena (a gravidez coincidiu com a chegada do vírus), acredita que vai correr tudo bem. Talvez arrisque a presença num ensaio, para matar saudades e sentir o orgulho " por eles todos".

Vivem muito perto da Casa da Música, ali pela Avenida da Boavista. Havemos de soltar as cores dos violinos, entre amarelos e castanhos, Verão e Outono, entre sons que brilham e outros mais escuros. De falar dos famosos Stradivarius, e dos magníficos Capela. De afinar sem oboé.

E ouvi-los na sala lá de casa, escutando a voz dos violinos que é a voz deles, quando deixam os auriculares para falarem connosco a partir da transcrição de um trecho de Hayden para 2 violinos. No sábado a música é outra:

Orquestra Sinfónica do Porto - Casa da Música

Baldur Brönnimann direcção musical

Carlos Alves clarinete

Aaron Copland Concerto para clarinete

Wolfgang Amadeus Mozart Sinfonia n.º 29

Um dia de cada vez é um programa de Teresa Dias Mendes. Pode ser ouvido na íntegra, de segunda a quinta, depois das 19h00, na antena da TSF e em TSF.PT - Um dia de cada vez

* Nota do Editor: a autora não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de