Uma questão de ADN

Podem ser irmãos, avós e netos, pais e filhos, companheiros, marido e mulher... São pessoas da mesma família que se juntam para uma conversa em que se fala de tudo. São percursos de vida e testemunhos que atravessam diferentes gerações. O que os une para lá do apelido, o que os separa para lá da diferença de idades.
Quinta-feira, depois das 19h00. Repete à sexta-feira, à 01h00 e domingo depois das 14h00. Com Teresa Dias Mendes

Baunilha ou chocolate? Pode ser imunidade de grupo

O virologista Pedro Simas acredita que só assim o mundo vai derrotar a pandemia provocada pelo novo coronavírus. Investigador, professor e cientista, ele leva-nos com o filho Vicente, à descoberta das escolhas que o foram desafiando, pela vida. E é por isso que temos de falar de sabores e de gelados.

Pedro Simas é virologista. Formado em medicina veterinária, descobriu em Cambridge a paixão pelo estudo destes pequenos seres que se alojam em células hospedeiras.

Defende a inevitabilidade de os países avançarem para uma imunidade de grupo, perante a pandemia provocada pelo surto do novo coronavírus, protegendo os grupos de risco que são mais vulneráveis e que estão identificados. Em rigor, afirma uma postura anglo-saxónica, em linha com a estratégia seguida nos primeiros dias, pelo Reino Unido.

Pedro Simas não critica as medidas adoptadas, a distância social imposta, a quarentena de hábitos e de afectos que esta nova realidade nos força a manter. Mas acredita que mais tarde ou mais cedo, só a imunidade de grupo pode travar a invasão da Covid-19. É um pedaço de conversa que não contaminou o guião desta conversa que juntou pai e filho, no programa Uma Questão de ADN.

São duas décadas de trabalho na área da virologia. Pedro Simas trabalha no Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa, onde lidera o grupo de investigação que analisa o vírus quimera, um passaporte para a cura de algumas derivações de cancro, e onde é também o coordenador do Biotério, a unidade dos animais usados em laboratório. Tem muitas dezenas de artigos publicados sobre o vírus herpes, que pode existir em 90% da população mundial.

O interesse pelos vírus só surgiu depois de se ter formado em medicina veterinária. A Universidade de Cambridge foi o palco da mudança. No regresso a Portugal passou pelo Instituto Gulbenkian da Ciência, começou a dar aulas e está prestes a dar corpo a um novo projecto da Faculdade de Medicina da Universidade Católica Portuguesa, como futuro director do Instituto Biomédico, onde se pretende promover o envelhecimento saudável e adquirir massa crítica para formar melhores médicos.

Este é o trabalho do cientista, investigador e professor. Haveria tanto ou mais para se escrever sobre os desportos que pratica ou os desafios que abraça por precisar de adrenalina, mar, sal, sol e suor. Seja numa bicicleta, no fundo do mar, ou a voar pela serra de Sintra...ou ainda a fazer gelados.

Criou a Sorbettino, no Chiado, que agora já vendeu, mas era ele que criava os sabores e se desafiava a encontrar "o ponto mágico " de uma bola de gelado. Temperatura, água e sabor. Usar o rigor científico na procura dos melhores ingredientes, depois leva-se a colher à boca e a explosão acontece. Eis a ciência dos gelados artesanais, que os dois filhos tantas vezes provaram. "Pagámos sempre", esclarece Vicente Simas, o filho mais novo que, aos 21 anos, é " agente" duma imobiliária, e parece ter paleio para vender casas. É um ano sabático, enquanto ganha balanço para deixar o curso de Engenharia Civil e mudar para Gestão. De todas as lições já aprendidas com o pai há uma que não esquece: "tenta dar sempre o teu melhor, nem que seja a limpar mesas". E os tempos pedem que sejamos os melhores.

Uma Questão de ADN, é um programa de Teresa Dias Mendes, sonorizado por João Félix Pereira.

A autora não escreve segundo a grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de