Verdes Hábitos

Os hábitos também se mudam. No combate ao estado de emergência climática, todas as semanas damos a conhecer novas ideias para mudar velhas rotinas. Com Sara Beatriz Monteiro e Inês André de Figueiredo.
Para ouvir todas as sextas-feiras, às 18h40.

Fazer iogurte em casa (e muito mais) sem eletricidade. É possível e a ideia é portuguesa

Ana Jervis, uma das criadoras da YogurtNest, esteve no Verdes Hábitos a contar alguns dos segredos da marca.

Fazer iogurte em casa, com uma bolsa de cortiça e sem necessidade de eletricidade. A YogurtNest, que tem como objetivo ser mais sustentável, foi pensada por Miguel Leal e Ana Jervis, em 2008, mas só chegou ao mercado alguns anos depois. Agora, há dezenas de modelos e já faz mais do que iogurtes.

Ana Jervis explicou, em entrevista do Verdes Hábitos, que tudo começou com uma pergunta num blog onde se pretendia ajudar as pessoas a serem mais sustentáveis. Miguel Leal resolveu responder com os princípios para fazer iogurte em casa, porém essa publicação nunca mais teve resposta, mas, no fundo, a ideia era... uma YogurtNest.

A ideia foi crescendo, foi sendo testada, os amigos começaram a gostar, depois os amigos dos amigos. E após uma tentativa com colmeia e madeira, chegaram à conclusão de que a cortiça - sendo portuguesa, isolante térmico, biodegradável e compostável - seria uma opção ideal.

A YogurtNest é composta por um saco com um enchimento em cortiça, tem uma "boina" com cortiça granulada e uma fita, sendo a "cortiça o segredo". "Podemos usar como iogurteira natural, que não é elétrica, para fazer iogurte com leite, leite sem lactose, bebida vegetal, para fazermos os nossos cozinhados usando como slow cooker - uma panela de cozimento lento -, ou seja, começamos a fazer o cozinhado no fogão, desligamos passado poucos minutos, de modo a poupar gás ou eletricidade, e colocamos a panela dentro no YogurtNest, que acaba de cozinhar com o calor que vem", explica uma das responsáveis pela marca.

Ana Jervis acrescenta que é ainda possível usar para levedar a massa do pão, da pizza e também como mala térmica, para conservar comida ou bebida.

E o trabalho, compensa? "Não dá trabalho nenhum, qualquer criança consegue fazer. Na verdade, é como lavar os dentes, depois já vai em piloto automático", garante. Sendo a YogurtNest a pensar na ecologia, Ana Jervis sublinha que é possível reutilizar os frascos que há em casa, "não vêm embalagens de plástico derivadas do petróleo".

"Pelas nossas contas, uma família de quatro pessoas em que cada um coma um iogurte por dia, ao fim de um ano são cerca de 1500 embalagens que evitámos, além do gás e da eletricidade que vamos poupando", acrescenta.

As dicas para quem tem ou quer ter um YogurtNest em casa:

- É sempre bom usar os vários usos, nomeadamente como uma panela slow cooker.

- Quando querem usar leite sem lactose, leite do dia ou leite magro convém ferver o leite antes para obter um iogurte mais espesso.

- Sobre a bebida vegetal, é possível usar a caseira ou a de compra. Quando queremos fazer um iogurte vegan devemos adicionar uma colher de iogurte vegetal, comprado com um prazo longo ou feito em casa, e quando se adiciona o probiótico é preciso verificar se tem leite em vaca adicionado.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de