Verdes Hábitos

Os hábitos também se mudam. No combate ao estado de emergência climática, todas as semanas damos a conhecer novas ideias para mudar velhas rotinas. Com Sara Beatriz Monteiro e Inês André de Figueiredo.
Para ouvir todas as sextas-feiras, às 18h40.

Quer ter uma empresa sustentável? Eis as dicas para alcançar o objetivo

Leia a crónica da Planetiers, a empresa portuguesa que quer ser uma espécie de Google da sustentabilidade.

Porque é essencial falarmos de sustentabilidade nas empresas?

Não há dúvida de que a sustentabilidade tem sido palavra de ordem nas mais variadas frentes, com cada vez mais pessoas, projetos e meios de comunicação a focar no assunto e a torná-lo prioridade.

Contudo, a maior parte da discussão pública sobre o assunto tem acabado por se direcionar para o consumidor final como "decisor", incentivando-nos a fazer as escolhas certas e, através de "cada compra é um voto", pressionar todo um sistema empresarial a renovar a forma como gere os seus negócios. Apesar de acreditarmos que os consumidores podem fazer a diferença através de opções conscientes e empresas responsáveis, há que acelerar o processo e inverter o caminho: uma transformação realmente sustentável deve acontecer top to bottom, a partir das chefias para toda a estrutura organizacional.

Mas porque é que uma empresa deve tornar-se sustentável?

Se durante anos, e na maior parte das empresas, os "custos de sustentabilidade" ainda eram agregados aos budgets dos departamentos de responsabilidade social, esta já não pode ser a realidade.

A sustentabilidade tem de ser definida por 3 pilares complementares e indissociáveis: preocupação ambiental, social e económica.

Aplicar de forma eficiente as bases da sustentabilidade a uma estrutura empresarial significa usar menos recursos e ter menor impacto no planeta, aumentando a produtividade e, consequentemente, a faturação da empresa ou organização.

Aplicar medidas sustentáveis não se trata apenas de uma estratégia para gerar buzz ou interesse mediático: a sustentabilidade nas empresas passa em primeiro lugar por criar valor a longo prazo enquanto gera benefícios sociais e ambientais para todos os stakeholders.

Com cada vez mais exigências legais e um mercado concorrencial a virar atenções para o tema da sustentabilidade, aplicar estas medidas nas nossas empresas não se trata de uma opção, mas sim de uma questão de sobrevivência.

É caro tornar a minha empresa sustentável?

Apesar dos esforços iniciais que possam ter de ser feitos em alguns casos, em relação a tecnologia e equipamento, esta transformação não se trata de um custo, mas sim de um investimento.

Para além da criação de valor a longo prazo, aplicar medidas de sustentabilidade nas empresas, numa grande parte dos casos, é uma forma de poupar dinheiro.

A ideia de sustentabilidade empresarial é conseguir produzir o necessário com o mínimo de utilização de recursos. Aplicar processos de reciclagem, reutilização de águas, medidas de economia energética ou reaproveitamento de matéria-prima são formas de otimizar processos, reduzir custos de produção e, em muitos casos, criar novas oportunidades de negócio.

Tem-se também visto uma grande valorização de ações em bolsa referentes a empresas com core sustentável, com cada vez mais investidores a procurar estes tipos de organizações. Este é apenas mais um sinal: quem não se adaptar a esta mudança e exigência não terá espaço nos mercados futuros.

Mas é possível tornar uma empresa sustentável de forma fácil?

A grande revolução na sustentabilidade das empresas está na forma de olhar para os processos. Na maioria dos casos, os processos das empresas complementam-se, podem ser facilmente otimizados e nos quais se consegue aplicar alguma circularidade de forma simples.

Contudo, e dependendo do sector ou da fase de crescimento da empresa, há sempre ações e dicas que trazem sustentabilidade direta à organização, espaços comuns e colaboradores.

- Economizar recursos

Racionalizar recursos da empresa é uma forma de angariar dinheiro para a organização. Estas ações podem ir desde a implementação de tecnologia eficiente de baixo consumo, controladores inteligentes de energia ou sistemas de gestão e reaproveitamento de águas, até à consciencialização junto dos colaboradores para a poupança desses mesmos recursos - incorporar esta mentalidade na cultura da empresa é essencial nos dias de hoje.

Reutilizar papel, evitar imprimir, trocar cartões por contactos virtuais, reuniões por vídeo chamada sempre que possível, entre tantas outras ações, podem fazer a diferença.

- Evitar Descartáveis

Uma empresa com 200 colaboradores gasta em média 60.000 copos descartáveis por ano que acabam no lixo após uma única utilização. Investir em copos ou garrafas reutilizáveis significa menos desperdício e menos dinheiro a sair da empresa (para além dos efeitos secundários no bem-estar e produtividade dos colaboradores).

- Promover projetos sustentáveis dentro (e fora) da empresa

É importante consciencializar para esta preocupação e comportamentos, dentro e fora da empresa - promover um ambiente organizacional em prol da ecologia e preservação é essencial, partilhando informação, eventos e formas de envolver todos nesta ideia.

- Tratar bem dos resíduos

Reciclar, adotar práticas de economia circular, reutilizar sobras de matéria-prima, ter um compostor doméstico no escritório para usar no jardim, por exemplo, conseguem tornar as empresas cada vez mais circulares de forma simples.

- Produzir com consciência

Na fase de produção, há que procurar fontes de energia limpas e renováveis, fornecedores responsáveis e evitar produzir subprodutos que possam pôr em risco a segurança humana e biodiversidade.

- Brindes bem pensados

Em muitas empresas é tradição um cabaz de natal para colaboradores, brindes para consumidores ou ofertas a novos clientes, entre tantas outras iniciativas que envolvem produzir novos materiais.

É importante pensar bem na questão: será que preciso de oferecer estes brindes? Se sim, será esta a melhor opção possível?

Optar por brindes úteis e reutilizáveis, que tenham uma finalidade bem definida e que transmitam esta mensagem ecológica pode trazer muitas vantagens às organizações e colaboradores.

É complicado manter e gerir uma empresa sustentável?

Apesar de uma transformação sustentável disruptiva poder exigir alguns esforços de início, na recolha de informação e escolha das melhores opções, manter uma empresa na frente da sustentabilidade acaba por ser tão natural quanto motivador.

Uma organização é a extensão direta dos seus fundadores, diretores e gestores: a partir do momento em que estas preocupações sejam um core da empresa, os próprios stakeholders começam a estar mais atentos a inovação, novas ideias e ações para implementar na empresa, criando assim uma cultura organizacional cooperativa, saudável e muito mais produtiva.

Apesar de mais difícil, o primeiro passo é essencial. Para que a mudança seja real e à velocidade necessária, precisamos de governos, entidades e todo o tecido empresarial unidos nesta mensagem global, tão urgente quanto simples de pôr em prática.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de