Vozes da Hemofilia

Durante o mês de novembro, na TSF falamos de hemofilia, uma doença que, em Portugal, tem cerca de mil pessoas afetadas. Num minuto de rádio falamos da história da doença e das curiosidades em torno dela. Ouvimos testemunhos de quem vive com a doença, falamos do papel dos médicos e o que pode fazer o SNS pelos hemofílicos.
Para ouvir, de segunda a sexta, antes das 08h00, durante o mês de novembro.

Com o patrocínio da Sobi

Hemofilia, a doença do ''sangue azul''

Se alguma vez viu atribuída a alcunha de "doença do sangue azul" à hemofilia, não é por acaso. A culpa é da rainha Vitória, a monarca que reinou Inglaterra e Irlanda durante 64 anos (1837-1901).

A hemofilia surge, muitas vezes, associada à monarquia da Europa. Miguel Crato, presidente da Associação Portuguesa de Hemofilia, explica que a doença manifesta-se, quase sempre, no sexo masculino, por isso, os casos de mulheres, como o da rainha Vitória, chamam à atenção.

"A rainha Vitória é um bom exemplo. Era uma mulher tinha historial [da doença] na família e dos seus dez ou 12 filhos, apenas um tinha hemofilia, no entanto as filhas eram portadoras. Daí se chamar a doença real porque, de facto, os descencentes da rainha Vitória disseminaram a patologia por várias casas reais."

Saltamos para o século XXI, onde há uma figura que serve de exemplo a outros doentes: Alex Dowsett. A hemofilia não impediu o ciclista britânico de ser atleta olímpico.

A hemofilia é uma doença que atravessa séculos e várias gerações, mas com os tratamentos corretos e preventivos, os doentes estão menos limitados e têm uma vida quase normal.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados