90% das pontes num estado de conservação entre razoável e bom

Avaliação de 2017 "passa" maioria das infraestruturas. Neste 4 de março, faz 17 anos que caiu a ponte de Entre-os-Rios.

A grande maioria (90%) das pontes, viadutos e túneis da rede rodoviária geridos pela Infraestruturas de Portugal (IP) apresentava em 2017 um estado de conservação entre o "razoável" e o "bom", estando a decorrer sete empreitadas de reabilitação.

A IP é responsável por mais de 7.200 obras de arte (designação que abrange, entre outros, pontes, viadutos, túneis, passagens hidráulicas) na rede rodoviária (73%) e na rede ferroviária (27%).

"Os resultados da campanha inspetiva de 2017 revelam que 90% das obras de arte apresentam um estado de conservação que varia entre o razoável e o bom", uma percentagem que "ao longo dos anos tem vindo consistentemente a melhorar e que em 2010 se situava nos 80%", segundo dados da IP enviados à Lusa.

A IP refere que em 1,7% do total de obras de arte rodoviárias foi identificada a necessidade de executar uma intervenção num período máximo de dois anos, situações para as quais a empresa diz ter "já planeadas e desenvolvidos os projetos com vista à execução das intervenções de reparação".

No que respeita à rede ferroviária, 97% das obras de arte apresentavam um estado de conservação razoável ou bom e 3% requerem "uma atenção especial", segundo a IP, que refere que "em todos os casos estão já programadas e planeadas ações que visam corrigir os problemas detetados".

A gestora das redes rodoviária e ferroviária salienta que atualmente não tem a seu cargo qualquer obra de arte em exploração cuja utilização esteja vedada por representar risco à segurança de pessoas e bens.

A empresa explica que, nas travessias em que estão implementadas restrições de circulação, "estas decorrem maioritariamente da execução de trabalhos de requalificação, de reforço ou de substituição das atuais estruturas".

A IP tem a decorrer sete empreitadas de reabilitação ou reforço de obras de arte rodoviárias, abrangendo um total de 15 infraestruturas.

Na rede ferroviária, além das ações de manutenção corrente, "está em execução uma empreitada referente a duas obras de arte notáveis na linha do Douro, Viaduto e Ponte da Ferradosa, no valor de 3,8 milhões de euros".

No que à rede rodoviária diz respeito, desde 2009 que a inspeção à totalidade do património tem uma periodicidade bienal, enquanto ao nível ferroviário as inspeções de rotina são asseguradas pelas equipas internas de manutenção da IP com uma periodicidade de 15 meses.

No ano passado, a IP realizou 911 inspeções principais (que são periódicas e programadas) na rede rodoviária e 476 na rede ferroviária.

Em 2017, foram feitas 49 inspeções subaquáticas.

Atualmente, na rede rodoviária da IP estão sob observação oito obras de arte especiais (designação que abrange "obras de arte notáveis, com importância muito relevante e com soluções de conceção particulares ou inovadoras") e na rede ferroviária estão sob monitorização quatro obras de arte.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados