A apanha da azeitona

A oliveira está na moda e faz parte do embelezamento arquitetónico de espaços públicos, em jardins, casas ou edifícios. É uma árvore secular no nosso país, de grande implementação nos meios rurais, onde é uma importante fonte de rendimento.

Por estes dias, são muitas as pessoas que se reúnem para a apanha da azeitona. A TSF juntou-se a um grupo em Proença-a-Nova e acompanhou o ritual da jorna.

No olival, começa-se de manhã e é até ao anoitecer. Chegam em carrinhas ou tratores, muitas vezes com o farnel para bucha, tiram-se sacas e panos para estender no solo, onde há de cair a azeitona. Preparado o terreiro, aqui não há descriminação, homens e mulheres cercam a oliveira e dão início ao movimento de mãos na ramagem, que pode também ser brejada com uma vara, muitas já elétricas que são uma preciosa ajuda.

É assim de oliveira em oliveira. Já em casa a azeitona é colocada no limpador, para retirar pequenos cavacos e folhas, para ser depois ensacada.

Proença-a-Nova é um dos concelhos com mais lagares em funcionamento. Apesar de muitos já terem fechado, ainda assim este ano são 26 os que estão a moer, um dos quais fica no Malhadal. É um lagar à moda antiga, onde a mó principal é movida pela força da corrente da água da Ribeira da Isna. Nuno Fernandes está no exterior do lagar a descarregar azeitona, o início do processo de moagem começa com a lavagem.

Pelo meio, depois da moagem, fica uma massa pastosa que passa por uma batedeira para controlo da temperatura. Depois é encerado e prensado e dá o desejado líquido dourado, num processo que demora cerca de 1h15m. Depois é avaliado o grau de pureza.

Ana Domingos, da APABI- Associação de Produtores de Azeite da Beira Interior, explica-nos que estes são por normas azeites biológicos e a classificação de virgem e virgem extra "depende das análises químicas e orgânicas", mas os sinais de um mau azeite são facilmente detetados.

Uma boa colheita requer alguns cuidados no olival ao longo do ano, como a poda em fevereiro/março e "ter cuidado com a traça na primavera", e colher azeitona no tempo certo. São assuntos que esta técnica vai abordar amanhã à tarde em Proença-a-Nova, numa iniciativa promovida pelo município, "para dar a conhecer as potencialidades do azeite" destaca o autarca, Paulo Catarino.

Para além disso haverá provas de degustação, e quem quiser pode começar o dia com uma caminhada pelos olivais onde pode observar a apanha da azeitona e participar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de